Pesquisar no Blog

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Vilões contra a harmonização facial



O sorriso é um dos principais componentes da harmonia facial

A harmonização facial vem crescendo cada vez mais, pois é uma maneira menos invasiva de melhorar sua imagem. Esta harmonia é constituída por linhas faciais, expressões, e, principalmente, o sorriso.

Em janeiro de 2019, o Conselho Federal de Odontologia reconheceu definitivamente a harmonização facial como parte especialidade odontológica, sobretudo pois o tratamento mais procurado na área é o smile design, que oferece na análise do sorriso em relação à face, para definir o tamanho, forma e posição ideais. Com a finalidade de criar uma harmonia entre os dentes, gengiva, lábios, expressões faciais, funções musculares faciais e as marcas de expressão para torná-lo perfeito em relação ao rosto.

Existem vários vilões contra o sorriso e a estética facial, como os dentes tortos ou em posições erradas, que podem levar a um envelhecimento precoce e problemas mais sérios, como dores musculares e episódios de dores de cabeça tensionais, causadas pelo excesso de tensão na musculatura mastigatória por causa da mordida errada.

Um dos principais benefícios é o aumento da dimensão vertical de oclusão (DVO), também um dos maiores vilões contra a estética, bem estar e autoestima. Dimensão vertical de oclusão é a posição em que os dentes superiores e inferiores encontram-se em oclusão, e a oclusão ideal é aquela que permite a realização de todas as funções fisiológicas próprias do sistema estomatognático e preserva a saúde de suas estruturas constituintes.

A alteração na dimensão vertical de oclusão configura como uma das principais consequências da disfunção do sistema mastigatório e normalmente está associada à perda da estabilidade oclusal posterior e/ou à presença de hábitos parafuncionais. Para que qualquer reabilitação oral seja feita, é preciso optar por um tratamento que estabilize a DVO. É preciso evitar que complicações desagradáveis e dolorosas para o paciente ocorram em virtude da distância maxilomandibular alta ou baixa, antes de qualquer procedimento estético.

O aumento da DVO, além de fatores benéficos para com a autoimagem, corrige o desgaste dos dentes, pois essa condição faz com que a distância entre o nariz e o queixo fique menor, acentuando os sulcos faciais e rugas nessa área, onde a harmonização facial atua diretamente para evitar.

Focando apenas nos dentes, a harmonização facial, sempre em parceria com a odontologia, também atua com intervenções com lentes de contato para dentes ou fórmulas para deixá-lo sempre brancos e saudáveis, além de poder, adicionalmente, auxiliar dentes afastados e sorrisos gengivais com uma aplicação de toxina botulínica, que reduz a força muscular, elevando o lábio em menor intensidade.

Durante a harmonização, também é imprescindível dar atenção aos olhos, que trabalham em conjunto com o sorriso, na hora de demonstrar emoções. Ao redor e em outras partes do rosto, como é analisado antes do procedimento, podem ser definidas áreas para aplicação de Ácido Hialurônico, preenchendo-as. Com o preenchimento, é possível deixar os pontos principais mais joviais e, separadamente, retirar um pouco do tecido em locais adjacentes, para criar a simetria.

A odontologia está, desde sempre, trabalhando com a estética facial, que é muito influenciada pelo sorriso, e agora se tornou presente em todo o rosto, influenciando o bem estar e autoestima através de procedimentos não-invasivos, mas que oferece resultados diretos e aparentes.




Sociedade Brasileira de Odontologia e Saúde Integrativa (SBOI)
Dra. Cristina Gottlieb - Presidente
Endereço: Av. das Américas, 8585 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ, 22793-081



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados