Pesquisar no Blog

quinta-feira, 13 de agosto de 2020

O quanto os signos podem dizer da sua saúde

  


Como a influência dos planetas pode ajudar a descobrir a área da saúde que precisa de mais atenção


Os signos podem influenciar como a pessoa reage em determinadas situações, assim como influencia também na forma como os acontecimentos impactam na vida, além de como a pessoa guarda isso para si ou coloca isso no Universo. Tudo isso pode afetar o emocional e, consequentemente, trazer doenças físicas também. Conhecer esses aspectos pode ser uma vantagem para saber as áreas que precisam de mais atenção e trabalhar isso preventivamente.

A astróloga Sara Koimbra conta quais são as características de cada signo e ensina a neutralizar esses aspectos.


Áries: este signo é muito enérgico e, por isso, tem grande tendência a desenvolver problemas como ansiedade e estresse. Também pode desencadear dores de cabeça, nos olhos, tensão nos músculos dos ombros, pressão alta e nevralgias. É importante prestar atenção nas emoções e tentar descansar a mente diariamente, sem deixar acumular essa tensão típica do ariano.


Touro: taurinos têm mais propensão a ter problemas com a voz e relacionados à garganta, além de ser o signo relacionado também ao sistema digestivo. É preciso prestar atenção nas emoções para não ficar com nada guardado e causar dores de garganta e inflamações causadas por problemas emocionais mal resolvidos. Apesar disso, Touro tem uma grande energia de absorção e pode tirar vantagem disso para digerir melhor as situações.


Gêmeos: como um dos signos de Ar, Gêmeos pode ser afetado por tudo o que envolve o sistema respiratório. Tem tendência a desenvolver problemas como pneumonia, bronquite e asma, esta última pode ter como uma das causas a ansiedade. O geminiano precisa relaxar e respirar com calma. Deixar fluir e buscar tratamentos naturais podem ser boas alternativas.


Câncer: este é o signo que rege o aparelho digestivo. O canceriano tem uma energia materna e, por isso, tem facilidade de se recuperar, mas pode adoecer como forma de autoproteção, como um recado para diminuir o ritmo. O estresse pode causar dores estomacais também, por isso é importante tirar um tempo para digerir situações difíceis e deixar o passado ir.


Leão: um signo cheio de vitalidade, que rege o coração, por isso, precisa dar atenção ao check-up anual e cuidar para evitar doenças cardíacas e colesterol. Tem tendência a sentir palpitações e arritmias. Outro ponto de atenção para leoninos é a coluna, podendo desenvolver lordose e escoliose. Por sua energia, faz a recuperação ser mais rápida, com vontade de melhorar logo.


Virgem: o virginiano é muito preocupado com sua saúde e em excesso pode se tornar hipocondríaco. Este signo tem tendência a ter problemas intestinais, mas como está sempre muito atento aos sintomas deve agir rápido e levar o tratamento a sério e por isso não tem muitas complicações.


Libra: este signo rege os rins. Librianos precisam cuidar para não reprimir demais as emoções que acabam se solidificando em cálculos renais. Além disso, este signo tende a ter problemas de infecção urinária e cólicas. É muito importante beber muita água ainda mais para os librianos.


Escorpião: signo que rege a área sexual, portanto é preciso cuidado redobrado na proteção tanto física quanto energética nas relações. Também pode ter problemas com intestino desregulado. Como todo signo de água tem grande força para se regenerar e se adaptar, mas também pode ser mais sensível.


Sagitário: o sagitariano tem tendência a se machucar mais nas coxas, nádegas e quadril. Além disso, com sua energia forte de fogo, tem propensão a problemas no fígado e relacionados ao sangue. É importante cuidar das ações por impulsos, mas essa força pode ser positiva ajudando a buscar informações e levar o tratamento muito à risca.


Capricórnio: este signo tem grande tendência a ter doenças da terceira idade desde cedo, como problemas ósseos, reumatismo nos joelhos e na coluna. Por ser muito exigente e perfeccionista pode desenvolver problemas de má digestão e absorver esse estresse de não ter limites no trabalho e se cobrar demais.


Aquário: pessoas do signo de aquário podem desenvolver com mais facilidade doenças circulatórias, além de problemas nervosos, com estresse e ansiedade. O aquariano precisa tomar cuidado para não cuidar demais dos outros e negligenciar a própria saúde.


Peixes: este signo rege os pés e o sistema linfático. Tem propensão a desenvolver problemas hormonais e precisa ficar atento para não transformar uma situação mal resolvida em dor física, desenvolvendo doenças causadas pelo desequilíbrio emocional. Por isso, é importante se cuidar e fazer atividades que liberem esse estresse, além de sempre escutar sua intuição.

 

 

Sara Koimbra - atua há mais de 10 anos como astróloga, numeróloga e taróloga. Alia seus conhecimentos a terapias e orientação vocacional para adolescentes em busca da primeira profissão e adultos que querem se reinventar profissionalmente. Atua também com avaliação da política usando suas técnicas. instagram.com/sarakoimbra

 

“Fadiga da quarentena” pode reduzir cuidados de prevenção e reduzir isolamento social

 Psicóloga explica que ser humano tende a diminuir inconscientemente as precauções após um longo período de alerta

 

Apesar do início de retomada, liberando o funcionamento de alguns estabelecimentos, Salvador ainda segue com recomendação de isolamento social. No entanto, é cada vez mais comum ver pessoas fazendo exercícios na orla, tomando banho de mar ou outras atividades que furam a quarentena. Apesar do risco, essa atitude tem uma justificativa. De acordo com especialistas, após um longo período de tensão, o subconsciente do ser humano começa a relaxar e deixar de entender aquela situação como perigosa. 

"Essa é uma resposta do cérebro para o estado de alerta prolongado. No início temos muitos cuidados, mas com o tempo, o cérebro deixa de interpretar como um alerta real, e sim, como algo simulado, então diminui a tensão e a pessoa acaba não se cuidando como antes, deixando de higienizar com tanta atenção o que compra, de lavar as mãos com tanta frequência, usar álcool gel e máscara e, em última instância, reduzindo o isolamento social", explica a psicóloga da S.O.S. Vida, Cláudia Cruz. 

No início da crise, o medo serve como alerta para ativar defesas para se proteger, o que levou à adesão maior das medidas de prevenção, mas como o período de quarentena foi prolongado, há um desgaste natural, fazendo com que as pessoas inconscientemente flexibilizem alguns cuidados. 

A vendedora Poliana Araújo, que no início não saía de casa e seguia todos os protocolos, com o tempo foi relaxando. "Eu continuo usando a máscara e me policiando para manter todos cuidados, mas depois foi se tornando mais difícil manter as rotinas preventivas. Ainda faço, mas de forma mais branda e despreocupada", conta.

 

Negação - Além do cansaço das restrições impostas pela pandemia, algumas pessoas tentam fugir da realidade, negando o perigo. "Cada pessoa reage de uma forma frente a uma ameaça. Enquanto alguns ficam em alerta diante do medo, outros ativam defesas psíquicas de fuga, que fazem com que eles neguem a realidade e se coloquem em situação de risco", acrescenta a psicóloga.

O infectologista Matheus Todt explicou que essa atitude é arriscada, já que apesar do Plano de Retomada ainda não é o momento de reduzir o isolamento. "Toda vez que flexibiliza antes do momento, adia mais para frente o retorno à normalidade. Portanto, o isolamento social ainda é uma medida extremamente necessária, é o que altera a mortalidade dos pacientes, pois permite que as pessoas se contaminem mais lentamente e que tenha assistência adequada", pontua.


Cuidados - Para mitigar o impacto emocional, Cláudia Cruz orienta que as pessoas busquem informações confiáveis, que ajudam a orientar como proceder e se manter seguro, mas com cuidado para evitar notícias falsas ou para sobrecarga de informação que podem gerar pânico. Também é recomendável ter atenção à saúde física com alongamento, alimentação saudável, exercícios físicos. Esses hábitos contribuem para o equilíbrio emocional e para ativar respostas de resiliência e paciência, fazendo com que as pessoas suportem por mais tempo os impactos da pandemia.

Para diminuir o estresse do isolamento, também é possível buscar outras formas de manter contato social, interagindo com amigos e familiares remotamente, já que a ausência da experiência social pode causar sofrimento psíquico. Por fim, a psicóloga aconselha buscar atividades de entretenimento que geram prazer, usando a criatividade para estabelecer novas rotinas positivas e com momentos alegres.


6 hábitos da quarentena que podem continuar após a pandemia

Os meses passam e a quarentena no Brasil não tem previsão de acabar. Fato é que, junto a ela e ao isolamento social, nossa rotina sofreu alterações e, nesse momento, é necessário permanecer em casa o máximo possível. 

 

Diante disso, por que não aproveitar o tempo para adotar pequenas mudanças no comportamento, que podem melhorar a maneira como viveremos daqui para a frente? Confira as dicas da Lorelay Lopes, head de Negócios do UP Consórcios, fintech da Embracon, para ajudar o bolso e a saúde:


 

1.   Ida ao mercado


Ir ao supermercado com uma lista detalhada sobre tudo o que precisa ser comprado é uma excelente estratégia para fazer as compras rapidamente. Anotar todos os ingredientes necessários para as receitas diárias da semana, pensando em como eles são organizados dentro da loja, pode ser muito útil para reduzir o tempo gasto no supermercado. 

 

Este hábito poderá ser tornar parte da rotina, uma vez que ele otimiza o tempo no dia a dia e ajuda a dar uma boa economizada. O planejamento dos menus da semana também facilita a maneira como você compra. Que tal manter a ideia de fazer compras quinzenalmente, e assim evitar desperdiçar tempo (e dinheiro) nos supermercados? 


 

2.          Evite o desperdício


Uma das regras essenciais para evitar o desperdício de alimentos é organizar adequadamente a sua cozinha. Já que você tem mais tempo em casa, aproveite o momento para reorganizar os alimentos de maneira adequada, colocando aqueles que expiram primeiro na frente dos que podem ser consumidos depois. É um ótimo hábito para auxiliar no planejamento financeiro. 


 

3.          Fique longe de alimentos industrializados 


Os pratos e alimentos prontos e ultraprocessados, muitas vezes fornecem uma parcela exagerada de gorduras e açúcares que são prejudiciais à saúde. Na quarentena, estamos distantes de restaurantes. Para manter a saúde em dia, continue essa rotina e preze por alimentos saudáveis. A quarentena pode ser o momento certo para você aprender novas receitas e testar aquelas que são familiares. Toda essa dinâmica permite reduzir o tempo na cozinha e traz receitas e pratos mais saudáveis do ponto de vista nutricional.


 

4.          Reserve algum tempo para si mesmo


Aproveite esse período para passar algum tempo consigo mesmo, que pode ser por meio da leitura de um livro ou a prática de meditação. Hoje, há dezenas de tutoriais, vídeoaulas e cursos online que permitem praticar atividades dentro de casa. São hábitos que podem melhorar o bem-estar psicofísico e promovem o relaxamento. O autoconhecimento é tudo! 


 

5.          Descanse melhor


Muitos estudos apontam que dormir poucas horas por noite, a longo prazo, aumenta o risco de sofrer vários distúrbios, como depressão, hipertensão, problemas de memória e excesso de peso. Aproveite a quarentena para adotar pequenos hábitos que favorecem a qualidade do descanso. Por exemplo, algumas horas antes de dormir, que tal desativar as notificações das redes sociais? Afinal, a luz do smartphone favorece o estado de vigília e você corre o risco de ter problemas com o sono.


 

6.          Planeje seus objetivos 


Que tal aproveitar o tempo livre para planejar os objetivos que você quer conquistar quando tudo isso passar? Experimente colocar tudo no papel e calcule quantos meses de economia precisará para conseguir os recursos necessários para todas as suas metas. 

 

 


UP Consórcios

www.upconsorcios.com.br 

 

Autenticidade Sustentável

Para que você construa uma vida e uma personalidade autênticas, sem fazer mal ao ambiente


Nos dias de hoje, mais que nunca, ouvimos falar em autenticidade. Viver de acordo com a sua verdade, agir baseado nos seus valores e na sua essência. Mas afinal, o que é ser autêntico?


Mariana Sousa, Coach de vida e reprogramadora mental, explica, “Ser autêntico é uma arte. É muito fácil passar desapercebido no meio da multidão. Mas se destacar por ser uma pessoa original requer força, coragem e um alto nível de autoconhecimento. E para que essa sua verdade se prolongue no tempo e faça parte de maneira genuína da sua vida, ela precisa ter 3 pilares bem fortalecidos”.


Pense numa construção gigantesca. Uma torre de 30 andares com alta tecnologia em todas as áreas. É indispensável uma base muito sólida para garantir a segurança e a solidez do edifício. A mesma coisa acontece com uma personalidade autêntica. “Quanto mais genuíno um indivíduo é, mais complexo e interessante esse se torna, e assim, se faz necessário uma boa base estrutural. Por isso eu criei o termo ‘autenticidade sustentável’” expõe Mariana.


A primeira base é o Autoconhecimento, “O primeiro passo para viver de acordo com a sua essência é conhecê-la.” Ser autêntico também significa ser verdadeiro. Uma pessoa com essa característica é sincera, honesta e verdadeira, tanto com ela quanto com o próximo. “Eu tive uma cliente que estava se divorciando aos 48 anos, tendo começado o relacionamento com o ex marido aos 14. E a primeira coisa que ela me falou na nossa primeira sessão foi “Eu não sei do que eu gosto”. Ela tinha passado os últimos 34 anos vivendo de acordo com as preferências do seu marido e filhos. Uma pessoa que não conhece a sua essência não pode desenvolver a sua autenticidade” apresenta a Coach. Por isso, uma imersão no Autoconhecimento é essencial.


Não adianta nada saber quem você é, mas viver preocupado com o que os outros pensam de você, por isso o segundo pilar é o Empoderamento. “Além de ser uma questão de felicidade e qualidade de vida, esse pilar é também uma questão de saúde física, pois ter os nossos pensamentos, sentimentos e ações alinhados é extremamente importante” comenta Mariana. O Brasil é o país com maior número de pessoas com ataques de ansiedade no mundo. Esse número está diretamente relacionado à insatisfação com a própria vida e em consequência uma sensação de viver sempre fora de si mesmo. Esperando o fim de semana, esperando um grande amor, esperando o jogo do time favorito de futebol e afins. Se empoderar é viver por você e se concentrar no momento presente. 


E assim, chegamos ao terceiro pilar, o Respeito pela Autenticidade alheia. Viver de acordo com a sua essência invadindo e desconsiderando o espaço do outro, não é autenticidade. É falta de educação. “Existem pessoas que acreditam que ser autêntico é falar tudo aquilo que pensam sem “papas na língua”. Mas essa atitude ultrapassa os limites da autenticidade e se transforma em grosseria. Costumam ser pessoas que aparentam ser muito fortes e ter uma autoestima elevada, mas que por trás escondem uma fragilidade que acaba produzindo uma atitude de defesa atacando outros”, ensina a reprogramadora mental. 


A pessoa que não respeita e agride o espaço dos outros acaba afastando todo mundo de perto dela. Viver de acordo com a sua essência, sem disfrutar e desenvolver habilidades sociais não é sustentável. O que está sendo procurado é uma autenticidade que se sustente no tempo proporcionando felicidade e um nível elevado de qualidade de vida. E esse resultado passa por uma vida social saudável. “Por isso o terceiro pilar para sustentar a base da torre da autenticidade é o respeito pela verdade e pelo espaço das outras pessoas. Trabalhando a nível consciente e subconsciente e colocando em prática esses três aspectos, se torna inevitável o desenvolvimento de uma vida autêntica sustentável” finaliza Mariana.

 




Mariana Sousa - Coach de Vida e Reprogramadora Mental
E-mail: Info@marianasousa.com
Instagram: @marianasousa_coach

 

Autocuidado: Cuide do seu coração

 

Cuidar do coração nesse momento é importante e fundamental para não esquecermos que devemos nos amar sempre


 
Dicas para cuidar do Coração:

🔅 meditação e prece

🔅 silêncio

🔅 ter um momento só seu

🔅 fazer arte/poesia/desenho/bordado

🔅 ter afeto com pessoas q vc ama

🔅 gentileza e caridade

🔅 ouvir música/cantar

🔅 conexão com a natureza

🔅 fazer terapia

🔅 bater papo com as amigas

🔅 tentar se divertir e relaxar!!! Somos forçadas a permanecer, aquietar, parar. Não tem como fazer 10 mil coisas para fugir de si mesmo. Nem fugir do medo, da angústia, dos problemas. Mais que nunca, o único caminho possível é para dentro!!!

 

Você não está só nessa jornada

Estamos passando por um momento difícil: muitos pensamentos na cabeça, muitos sentimentos no coração, muitos medos acumulados no corpo.
 

Especialistas mostram que a pandemia faz crescer a ansiedade, medo e libera hormônios como cortisol e adrenalina. Isso tudo devido ao medo generalizado, mudança drástica de rotina, falta de referência externa, falta de afeto e contato físico.... isso causa exaustão, e muita angústia. Os traumas, medos e frustrações podem voltar parecendo ainda maiores do que são mas não se martirize, tenha paciência.
 

É normal você se sentir sozinha e com muito medo nesse momento, com vários sentimentos confusos no coração. Afinal é um momento muito louco do mundo!!! Tente não tomar nenhuma atitude drástica, respirar, e ser sua melhor amiga. Tá sendo uma montanha russa mesmo, momentos bons, momentos ruins, momentos bons, momentos ruins... pra todo mundo!
 

Aceitar que não temos controle sobre a situação que vivemos é muito importante!! Desperte a compaixão com os outros e principalmente com si mesma!!


 Você sabe que está amadurecendo como mulher quando: 

  • É mais tolerante consigo mesma
  • Evita fofocas e julgamentos
  • Cuida da sua saúde energética
  • Muda velhas opiniões e preconceitos
  • Para de julgar outras mulheres
  • Se abre para o novo
  • Faz as pazes com suas feridas
  • Reflete sobre seus privilégios

·         Se ama cada dia um pouquinho mais.

 


7 plantas e flores para estimular o home office

 Especialista sugere espécies que vivem bem dentro de casa e ajudam a criatividade

 

As plantas tem um incrível poder de transformar os ambientes. Em tempos de home office, elas podem ajudar a estimular criatividade, produtividade e principalmente, relaxar a mente. Afinal, não está sendo um período muito fácil e, por isso, é o momento de investir em qualidade de vida, naquilo que faz bem e traz leveza e plantas e flores podem despertar mais ânimo e bem estar. Afinal, elas purificam o ar, aumentam a umidade, diminuem o estresse e ajudam a manter o foco.

"Muitas espécies ajudam no controle da ansiedade, estimulam a nossa criatividade e produtividade, além de melhorar a qualidade do ar e do sono", afirma Juana Martinez, florista parceira da Flores Online , primeiro e-commerce de flores e presentes especiais do país. Confira algumas espécies indicadas por ela abaixo:


Cactos e suculentas

Charmosas e de várias espécies, elas tem o poder de estimular a criatividade. Extremamente fáceis de se cuidar, essas plantinhas não dão nenhum trabalho e são perfeitas para quem está iniciando nesta área ou não tem muitas habilidades com flores.


Lírios

Com a sua beleza e o seu perfume, estas flores fazem um ótimo papel ao estimular a criatividade, além de trazer mais cor ao ambiente de trabalho. Com alguns arranjos e vasos espalhados, é possível usar e abusar para deixar a casa e o escritório mais alegre e contagiante.


Espada de São Jorge

Uma planta versátil e que combina com qualquer ambiente, ela é conhecida por ser uma grande filtradora do ar, retirando substâncias tóxicas que causam irritações nos olhos, boca, garganta além de dores de cabeça. Sua manutenção é simples de ser feita e ela é indicada para pessoas que não têm muito tempo para cuidar das plantinhas.


Alecrim

Muito utilizado na gastronomia, o alecrim é uma ótima opção para se ter em ambientes onde se trabalha. Isso porque o aroma do óleo dessa planta ajuda a melhorar as funções cognitivas, como a memória. Basta passar as mãos sobre suas folhas e ramos floridos para sentir o perfume que ajuda a manter o foco e memorizar a atividade desenvolvida naquele momento.


Dracena

A dracena pode absorver o dióxido de carbono dos ambientes, o que deixa o ar mais fresco e consequentemente nos torna mais concentrados e produtivos. Ela também auxilia na umidade e filtra substâncias tóxicas reduzindo a fadiga.


Gérbera

Assim como a dracena, a Gérbera absorve o dióxido de carbono e emite maiores taxas de oxigênio à noite. Isso significa que com essa florzinha você pode dormir melhor, o que contribui para se manter ativo e concentrado no dia seguinte. Por isso, o ideal é que ela fique dentro do quarto, desde que o local seja arejado e tenha a incidência de sol.


Gardênia

A gardênia é tipo de flor que exige mais cuidados por ser uma planta muito delicada, e que necessita de boa iluminação, sem luz solar direta para não queimar suas folhas. Mas ela exala um aroma que libera um efeito sedativo, ideal para o alívio da ansiedade e melhorar também a qualidade do sono.

 


Flores Online  


Partilha de bens: pedido de divórcio cresceu em todo país

 

 Divulgação
Especialista explica como funciona divisão de patrimônio



Meus bens para cá e seus bens para lá. Depois de uma separação, muitas coisas ficam pendentes. A partilha do patrimônio é uma delas. O mês de junho foi o que mais registrou divórcios neste ano. De acordo com dados do Colégio Notarial do Brasil, foram notificadas 5.306 separações, contra 5.209 no mesmo período do ano passado. Por conta da pandemia do novo coronavírus, junho também foi o primeiro mês em que os casais puderam se divorciar pela internet.

Normalmente, quando um casal decide se separar, tudo é dividido ao meio para ambas as partes. No entanto, essa divisão também depende do regime de casamento, que pode ser separação total de bens, comunhão parcial ou total.

“O processo segue as regras do regime de bens eleito pelo casal, durante a celebração do casamento. Ou seja, caso os cônjuges optem pela comunhão parcial de bens, por exemplo, o patrimônio conquistado na constância do casamento será dividido em partes iguais”, explica o advogado Rodrigo Fagundes, especialista em direito civil.

A partilha de bens consensual ocorre quando o casal decide, amigavelmente, como será realizada a repartição do patrimônio. Já a litigiosa, acontece quando há conflito de interesses dos cônjuges, seguindo as determinações estipuladas pelo juiz. “Não apenas o dinheiro e os bens como imóveis, veículos, por exemplo, entram na partilha. Também são somados os débitos e as obrigações adquiridas durante do casamento”, conclui Fagundes.

De acordo com o levantamento, entre maio e junho, houve aumento no número de divórcios em 24 estados. As maiores altas foram no Amazonas (133%); Piauí (122%); Pernambuco (80%); e Maranhão (79%).


 

 

Três passos para iniciar uma divulgação através do Buzz Marketing

 O conceito do Marketing boca a boca é simples e na maioria das vezes acontece de forma natural e espontânea. Há algum tempo, o mercado percebeu que a prática até então inocente e natural pode ser induzida a formar opinião de grupos específicos e esses, posteriormente, geram notícia e opiniões sobre suas experiências.

Antes, ao divulgar um produto ou serviço de forma isolada, a consequência natural era gerar o marketing boca a boca, resultado de uma boa experiência ocorrida sem programação prévia. Agora, recebeu uma nova roupagem e passou a ser uma estratégia direcionada a públicos que podem ser considerados “chaves” para fomento de opinião em relação a sua experiência. Assim surge o Buzz Marketing que consiste em criar um boca a boca positivo em torno de um produto, transformando consumidores selecionados em veículos espontâneos de mensagem. Esta, a seguir, espalha-se em círculos concêntricos, dos geradores de tendências, ao público consumidor.

O conceito de Buzz Marketing é originário dos circos que precisavam divulgar seus espetáculos e usavam de pequenas demonstrações nas cidades para gerar movimentação e “falatório” sobre a novidade e assim, garantir a curiosidade das pessoas em relação as atrações circenses.

Imagine então, que você tem um bom produto ou presta um bom serviço, com certeza alguém vai lhe indicar; porém, o desafio é manter um padrão para ser sempre lembrado de forma positiva e contínua pela sua qualidade e não pelas suas deficiências.

É possível estimular de forma estratégica essa prática para gerar o Buzz Marketing:

1 - Reunir pessoas chaves, podem ser de micro a grandes influenciadores, ou mesmo dependendo do seu negócio, líderes comunitários, pessoas que exercem algum tipo de influência sobre o público desejado, essas pessoas selecionadas serão voluntárias e farão uso de seu produto/serviço.

2 – Tão logo essas pessoas experimentarem seus produtos/serviços através de uma degustação bem elaborada, iniciam a fase de relato de experiência, e se no caso, for uma experiência positiva, isso pode ser reforçado, seja por postagens em grupos de interesse virtuais ou físicos, assim logicamente será gerado o boca a boca positivo, dando maior crédito para empresa e possivelmente aumentando as vendas.

3 – Com o tempo você terá conhecimento de seu mercado e as melhores formas de divulgação, escolhendo o público formador de opinião com mais acertividade. Imagine, por exemplo, que você seja um profissional de vendas de produtos de estética, ter o testemunho positivo de alguém que forma opinião perante esse mercado e assim gera todo um “buchicho” ou “burburinho” sobre seus produtos, logicamente sempre com a preocupação de obter comentários positivos, porque o contrário também funciona, mas nesse caso seria para acabar com seu negócio, portanto, caso opte pelo Buzz Marketing tenha certeza da qualidade sempre.

 



Achiles Batista Ferreira Junior - coordenador dos cursos de Marketing e Marketing Digital do Centro Universitário Internacional Uninter

 

60% das empresas esperam um impacto de moderado a grande nos resultados financeiros durante os próximos seis meses

Pesquisa releva que mais da metade das empresas no Brasil (55%) reduziram contratações e 20% estão considerando reduzir também sua força de trabalho 

 

 

A pesquisa COVID-19: Impacto nos negócios e nos benefícios, realizada pela Willis Towers Watson, mostrou que as organizações estão implementando diversas ações em resposta aos desafios impostos pela pandemia da COVID-19, principalmente para garantir a saúde, a segurança e o bem-estar de sua força de trabalho enquanto tentam manter a operação.

Quanto aos efeitos da pandemia nos negócios, cerca de 60% esperam um impacto moderado a grande em seu desempenho comercial durante os próximos 6 meses. No que tange aos empregados19% esperam não ter consequências na produtividade dos mesmos e 1 em cada 10 esperam não ter sérias consequências em relação ao bem-estar do empregado.

Os empregadores adotaram diversas medidas para proteger seus negócios como: congelamento de contratações (55%), suspensão do trabalho (20%) e licenças (15%). Além disso, implementaram outras medidas, como proteger os funcionários por meio do trabalho obrigatório em sistema de home office (71%), semanas de trabalho reduzidas (33%) e equipes de trabalho alternadas (30%).

Quando se trata de planejamento para a retomada presencial aos escritórios, 74% afirmam que os funcionários retornarão gradualmente ao longo de um período de tempo; 52% retomarão com funcionários essenciais primeiro e 58% com os de baixo risco de complicações graves.


Estratégias de retorno à normalidade

Atualmente, de acordo com a pesquisa, 30% dos empregadores estão desenvolvendo uma estratégia de comunicação para retornar ao local de trabalho.

Como parte das estratégias que as empresas estão usando (29%) estão “ouvindo”' os funcionários por meio de pesquisas e 'grupos focais' virtuais para identificar preocupações de segurança, bem-estar e necessidades, a fim de desenvolver o melhor planejamento para a volta ao trabalho.

Poucos empregadores dão suporte, como motivar os funcionários a usar tecnologias para rastrear a exposição potencial (5%) e oferecer serviços de cuidados com crianças, (atendimento de emergência, reembolsos) apenas 2%.

Em relação à revisão dos protocolos de segurança no local de trabalho, 37% dos empregadores estão atualizando-os, 33% estão reconfigurando os espaços para manter distanciamento social e 44% aplicarão um teste de temperatura para funcionários e visitantes entrarem nas instalações. Exigir testes periódicos da COVID-19 para entrar na instalação (por exemplo, teste de anticorpos) também está sendo considerado pelas empresas.

O estudo da Willis Towers Watson foi realizado com 196 empresas brasileiras, que juntas são representadas por 724 mil funcionários. Além disso, 68% das organizações estão localizadas em vários países e atuam em indústrias como manufatura, energia, serviços gerais, saúde, TI e telecomunicações, serviços financeiros, varejo, setor público e educação.

 

 


Willis Towers Watson

 willistowerswatson.com.

 

Agente de viagens: profissional é valorizado na "nova era" do turismo

A tão esperada retomada do turismo já está acontecendo, de forma gradual, principalmente, em território nacional. Mas, ainda há muito a se pensar, mudar e reorganizar. O prejuízo financeiro e o desgaste emocional não afetaram somente os empresários do setor, muitos clientes tiveram dores de cabeça com viagens canceladas, reembolsos não realizados e, até mesmo, passageiros que, em outros países, tentavam retornar para suas casas e, sem suporte ou atendimento, acabaram ficando muito mais tempo em solo estrangeiro.

Mesmo com o grande número de cancelamentos de voos, fechamento de atrações e pontos turísticos, têm surgido na Internet, cada vez mais, pacotes turísticos em promoções tentadoras, o que tem chamado a atenção até de órgãos de defesa do consumidor. Para se ter uma ideia, a Fundação Procon inaugurou em março um canal de reclamações ligadas ao período de quarentena. E, segundo informações da instituição, agências de viagens online somam 52% do total de reclamações e companhias áreas 25%.

Nas agências de viagens tradicionais, as equipes atenderam, prontamente, as ligações e retornavam os e-mails ajudando inúmeros viajantes, cliente ou não, a remarcar a viagem ou retornar para a sua casa - tudo isso, enquanto os escritórios permaneceram fechados durante o período de quarentena. A paz de espírito e a resposta ágil é a melhor coisa que os agentes de viagens podem oferecer nestes tempos. Nossos clientes podem nos contatar, por exemplo, por e-mail e telefone sem necessidade de passar horas esperando para ser atendido. Esta é uma das coisas que realmente distingue um profissional de viagens da internet.

 

Toda essa situação de dúvidas, incertezas e medos, gerada pela pandemia, tem aumentado o interesse dos consumidores em buscar um profissional que, desde muito tempo, atua no apoio aos viajantes: o agente de viagens. Mesmo em tempos que qualquer pessoa pode adquirir suas passagens, contratar serviços e programar todos os passos da viagem sozinha, contar com um profissional durante essa volta gradual do setor e, principalmente, após a pandemia, pode fazer toda a diferença. Só um agente experiente vai garantir e se responsabilizar por informar os procedimentos e restrições quanto à segurança, principalmente sanitária, verificar e acompanhar o status de voos, se o hotel está operando de acordo com as medidas de prevenção estipuladas e, caso o pacote seja cancelado, é ele que cuidará de todo o processo do reembolso ou remarcação. É fundamental conhecer e escolher fornecedores confiáveis e capazes de reembolsar os clientes - e saber quais foram resistentes a fornecer reembolso em dinheiro e tentaram impor restrições. Assim, o consumidor pode evitar perder tempo, dinheiro e o sossego na busca por uma solução adequada e que atenda sua expectativa.

 

Já os seguros de viagem serão ainda mais importantes, não somente no aspecto do atendimento à saúde, mas também para garantir o direito às mudanças e reembolsos. Estar protegido e flexível ganhou mais importância que o custo final da viagem.

 

Muitos hotéis e operadores, infelizmente, não voltarão a funcionar. Porém, muitos sites que vendem os serviços desses estabelecimentos de forma online não atualizam a lista dos seus credenciados com frequência. Sem contar que, atualmente, cada país impôs suas restrições quanto a entrada de estrangeiros, e muitas exigências para desembarque têm mudado de forma rápida. A Internet nem sempre acompanha tudo isso, mas o agente saberá informar, de forma precisa, todas as regras impostas pelo país de destino, evitando transtornos e até prejuízos financeiros.

 

Nesse chamado "novo normal" do turismo, é esperado que, as pessoas mantenham algum receio de realizar viagens sujeitas a aglomerações, seja nos transportes ou estabelecimentos visitados. Mas, a segurança pode estar garantida com o apoio de um profissional e de uma agência de viagens física, que ela sabe onde encontrar quando for necessário. O contato direto com um agente qualificado e treinado já trouxe facilidades a quem estava em viagem lá atrás, quando começaram as primeiras restrições por conta da pandemia, e certamente trará mais segurança e tranquilidade nesse momento de retomada, proporcionando uma experiência confiável da hora de fechar uma viagem ou de retornar para casa, seja em experiências no Brasil ou fora.

Hoje, tenho a certeza do quão fundamental os agentes de viagens serão para caminharmos juntos e viajar pelo mundo nessa "nova era".

 



Luiz Cesar Giagio - diretor geral da Estação Férias Viagens e Turismo - agência especializada em serviços personalizados há mais 10 anos

 

Prescrição médica digital é uma solução ágil e inteligente em tempos de pandemia

 

No novo normal, telessaúde auxilia as pessoas a terem acesso à prescrição médica digital para comprar medicamentos de forma descomplicada

 

A cada dia que passa, a tecnologia possibilita mais inovações no mercado da saúde. As consultas à distância por meio da telemedicina já são uma realidade no Brasil desde que a pandemia do novo coronavírus mudou a forma das pessoas viverem. Dessa forma, o Governo Federal sancionou a Lei 13.989/20, que regulamenta, em caráter temporário, a prática da medicina através de plataformas digitais. Nesse contexto, a receita médica digital, acabou se tornando uma necessidade e também uma grande aliada para que os profissionais possam fazer prescrições aos pacientes à distância. 

A receita eletrônica pode ser apresentada como um documento digital, que deve ter a assinatura do prescritor certificada digitalmente, ou seja, o médico precisa possuir a autorização para realizar esse tipo de prescrição, segundo a regulamentação da ICP-Brasil (Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira), sistema de certificação digital brasileiro. Ainda neste âmbito, conforme a Lei 13.989/20 e pela Portaria da Telemedicina, editada pelo Ministério da Saúde, o receituário pode ser enviado em formato digital, seja por email ou mesmo por aplicativos, assim o paciente pode encaminhar o documento à farmácia para a compra do medicamento. 

É importante enfatizar, que para preservar o paciente e também as farmácias, o Governo Federal criou uma forma de validação dessas prescrições e também atestados médicos pela internet. O “Validador de Documentos Digitais” permite que médicos, pacientes e farmacêuticos mantenham o relacionamento de forma 100% online e com segurança no envio de documentos. A Docway é uma das empresas que se adaptou a esse novo serviço, o Responsável Técnico Médico da empresa, Dr. Aier Adriano Costa, explica que os certificados digitais são gerados por empresas especializadas na validação e confirmação dos dados dos médicos, e somente com este certificado é possível que o profissional assine as prescrições digitais. “É um processo muito seguro, porém para evitar qualquer tipo de fraude o médico deve ter cuidado com suas senhas e só utilizar seu certificado digital em computadores de uso pessoal ou que sejam seguros, devendo evitar computadores públicos. O paciente a qualquer momento consegue verificar se o documento digital foi assinado digitalmente e se é um documento válido através do site: assinaturadigital.iti.gov.br”, enfatiza Costa. 

O portal de validação de documentos digitais foi criado pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), com apoio técnico dos Conselhos Federais de Medicina e de Farmácia. Sua principal função é a validação das receitas em meio digital (formato PDF) quanto a sua autoria, se assinada por um médico habilitado, e se dispensada por um farmacêutico. Permite ainda verificar a integridade do documento assinado com certificado digital ICP, ou seja, confirma se ele não foi ou não adulterado. 

Dentro dessa nova realidade, receber uma receita médica por SMS ou email é uma facilidade real e palpável. Além disso, para se conseguir uma, é preciso passar por uma consulta, da mesma maneira que seria no mundo pré-isolamento social. Assim o tratamento é direcionado por um médico, que explica e engaja o paciente a ter os cuidados adequados. “A prescrição digital tem inúmeros benefícios. Sabemos que as entradas nos serviços de saúde estão difíceis, superlotadas e grande parte dos atendimentos pode ser resolvida com uma orientação adequada aliada à prescrição médica. Desta forma, os serviços de telemedicina podem realizar consultas, desafogando o sistema. Além disso, neste momento de pandemia ainda se reduz o nível de contaminação e disseminação do coronavírus”, enfatiza o Responsável Técnico Médico da Docway. 

Esse ecossistema digital criado para as demandas da saúde durante a pandemia se torna necessário, garantindo o acesso à saúde. Tudo parte da teleconsulta, pois assim o paciente evita a automedicação, tendo mais segurança em seu tratamento, mostrando como o uso da telemedicina pode ser uma ferramenta ágil e eficaz para o déficit dos serviços de saúde. “A telemedicina veio para facilitar e dinamizar o Sistema de Saúde, além de solucionar os problemas de baixa complexidade de maneira rápida, sem a necessidade de deslocamento do paciente e do médico. Além disso, a telemedicina tem também a finalidade de direcionar o paciente para uma melhor assistência médica, seja ela para um pronto atendimento ou a um especialista, caso necessário. Sendo assim, a telemedicina se torna uma maneira importante de diminuir significativamente as filas de atendimento presencial facilitando, assim, o atendimento de quem realmente precisa”, finaliza Costa. 

 

Posts mais acessados