Pesquisar este blog

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Neste Dia dos Namorados, saiba como a alimentação pode interferir na libido


Alguns alimentos modulam a produção de neurotransmissores e hormônios relacionados à sensação de prazer, influenciando no desempenho sexual


A libido e o desempenho sexual estão diretamente relacionados à alimentação. Alguns alimentos atuam de maneira positiva sobre a saúde sexual do indivíduo, enquanto outros podem acabar impactando negativamente neste quesito. Segundo Myrna Campagnoli, endocrinologista do Delboni Auriemo Medicina Diagnóstica, isto acontece porque determinados alimentos modulam a produção de neurotransmissores e hormônios relacionados à sensação de bem-estar e prazer, influenciando no bom funcionamento dos órgãos genitais e até da fertilidade. Para quem procura melhorar o desempenho sexual, o segredo está em combinar certos alimentos-chave.

Segundo a médica, são muitos os alimentos que afetam a sexualidade. Por exemplo, o consumo de alimentos ricos em vitaminas do complexo B (especialmente B6 e B12) como a proteína de origem animal (ovos, peixes, aves e carnes vermelhas), vegetais de folhas verdes escuras, canela, gengibre, cereais integrais (arroz, pães e massas), frutas (banana, maçã, abacate, morango, laranja, tâmaras), leguminosas (feijão e lentilhas), castanhas (nozes e amendoim) e o chocolate amargo contribuem para o aumento de serotonina, dopamina e noradrenalina, hormônios ligados ao prazer.

Já alimentos ricos em zinco melhoram a produção do hormônio testosterona, que é essencial para a função sexual e reprodutora masculina, sendo também importante para a libido e fertilidade femininas. Ele é encontrado nas leguminosas (feijões, ervilhas, lentilhas, semente de abóbora e soja).

Embora não haja comprovação científica de que alimentos isolados despertem estímulos sexuais, alguns fatores comprovadamente prejudicam o desempenho sexual. O excesso de gorduras na alimentação é um deles. “Além disso, é importante ressaltar que os hábitos de vida também interferem na saúde sexual. O sedentarismo, o estresse, excesso de álcool, cigarros e o uso de drogas reduzem o prazer e prejudicam o funcionamento dos órgãos sexuais”, complementa a médica. Algumas doenças, como o diabetes, sobrepeso e obesidade, problemas cardíacos e desequilíbrios hormonais também têm efeito negativo na esfera sexual.

Dra. Myrna lembra que o ideal é manter a alimentação saudável, balanceada e variada. “O bom desempenho sexual é fruto do cultivo de bons hábitos todos os dias, e de uma alimentação saudável e balanceada”, finaliza a especialista.





Delboni Medicina Diagnóstica


18 dicas do que não fazer no Dia dos Namorados


A sexóloga Lelah Monteiro dá sugestões de como surpreender na data 


1 - Não vá a restaurantes. Eles estarão lotados e com filas de espera. Prefira um jantarzinho íntimo em casa somente os dois e aproveitem todos os momentos a sós, que poderão ter inovações na forma de degustar este menu.
Lembre-se: comece com uma refeição charmosa, mas leve, queremos que este ato seja o primeiro desta noite longa de amor.  

2-Ouse no vestiário, Dia dos Namorados também poderá ser um dia para usar aquele modelito ousado!

3-Decore seu quarto ou altere a luz do abajur, existem lampadas coloridas, algumas que exalam aromas, seja criativa!

4-Gel íntimo, calda de chocolate, chantili, já pensou em comer esta sobremesa de uma forma inusitada?

5-Não aprecia tanto o sexo oral, então este é o momento, existem preservativos de todos os sabores e texturas, experimente!

6- Motéis no Dia dos Namorados também não são uma boa pedida. Evitem filas. 

Que tal aproveitar que o dia 12 de junho para fazer uma viagem romântica no final de semana, somente o casal para a praia ou campo, o que acha? Ou aquele hotel que tem piano bar, teatro ou depois do jantar poderão pernoitar!

7-Chocolate, flores ou aquela almofadinha de coração estão proibidos nesse Dia dos Namorados. Presenteie sua namorada (o) com uma noite inesquecível em uma suíte máster de um hotel 5 estrelas com tudo o que tem direito e muito mais.

8- Mas se o seu fetiche é aquela suíte do motel reserve e quem sabe você consegue ir num horário diferente, está valendo!

9- Nada de ir direto ao sexo. Caprichem nas preliminares, abusem dos brinquedinhos e se entreguem ao prazer.

10– Comemorar o Dia dos Namorados com a família, para os casados e com filhos, não é lá um programa muito romântico. Então, deixe os filhos com os avós e façam um programa a sós, com direito a vinho e muita intimidade.

11 – Ao invés de presenteá-la com flores, que tal comprar um óleo sensorial e massageá-la, acompanhado de uma provocante lingerie.

12 – Para os casados, nada de ficarem em casa como fazem todos os dias. Abram um champanhe e dancem ao som da música preferida de vocês, peça a ele que faça um stripe para você, depois torture-o tirando cada peça muito lentamente,a ultima peça a ser tirada deverá ser seu salto.

13– Cineminha? Não. Para esquentar o clima coloque um filme pornô e assistam juntos. Caso um dos dois tenha vergonha, a sugestão é tomar uns golinhos de vinho ou champanhe para relaxar.

14 – Nada de fazer sexo como sempre fazem. Inovem. Aprendam alguma posição diferente e experimentem nesta data.

15-Este é o dia de reconciliar e focar no seu prazer, permanece com sua mente, seus instintos ali, faça com vontade e sinalize como você quer, deixe a vergonha de lado.

16-Lingeries, meia luz, espumante e outras peças de sedução são para serem usadas com segurança, lembre que esta noite é para você mulher se sentir sexual, jogue fora toda repressão e os sabotadores de plantão.

17-Confie em você, ele não estará olhando para suas imperfeições, vou dizer que você não as têm, não nesta noite! 

18 – Passar a noite sem fazer sexo. Nunca! Aproveitem a data para namorar e descobrirem outros prazeres e segredos a dois.




Lelah Monteiro - Sexóloga e Psicanalista pela Escola de Psicanálise de São Paulo, Educadora Sexual pelo Instituto Kaplan, Terapeuta Sexual (USP), Sexóloga da Rádio Globo AM 1100kHz SP, Master Coach e Fisioterapeuta especialista em sexualidade pela Universidade Estadual de Londrina. Co-autora do livro ‘Relacionamentos amorosos 2,com o capítulo ‘Pode um relacionamento sobreviver ao vaginismo?’. É membro das associações: Associação Brasileira de Fisioterapia Pélvica, ABRAFISM - Associação Brasileira de Fisioterapia Saúde da Mulher, ISSM - Sociedade Internacional de Medicina Sexual e da ISLAM - Sociedade Latino Americana de Medicina Sexual. Mais informações no www.lelahmonteiro.com.br


Posts mais acessados