Pesquisar este blog

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Pequenas atitudes para um consumo mais consciente



Na Semana do Meio Ambiente, saiba como simplificar a vida, economizar dinheiro e contribuir com o ecossistema, sem deixar de consumir


Todo mundo tem roupa que não usa mais, livro que já leu, brinquedos antigos do filho. Às vezes, pode ter até uma casa vazia na praia ou carro encostado na garagem. Coisas que ocupam espaço e que podem ser reutilizadas. Com as mudanças climáticas, torna-se ainda mais importante encontrar formas de consumir produtos conscientemente, reduzindo o impacto no meio ambiente por meio do reaproveitamento de recursos.

No livro "A História das Coisas", a especialista em consumo Annie Leonard explica que só 1% dos materiais usados para produzir nossos objetos cotidianos continuam em uso após seis meses. A vida útil desses objetos costuma ser muito curta para o tanto que eles podem ser utilizados, por isso a compra e venda de usados pode ser uma boa opção para o reaproveitamento e redução do impacto ambiental.

Uma pesquisa do IBOPE Conecta, encomendada pela OLX*, mostra que 91% dos internautas brasileiros (68 milhões de pessoas) possuem itens sem uso em suas casas e 84% deles (62 milhões de pessoas) têm interesse em vender esses objetos. O ticket médio por pessoa na venda de produtos sem uso, desconsiderando Imóveis e Veículos, é de R$ 4.267, ou seja, as pessoas podem lucrar com o que têm parado em casa.

O reaproveitamento de objetos tem se tornado uma tendência cada vez mais forte no Brasil. Em 2016, foram movimentados mais de R$ 81 bilhões em compra e venda de objetos na OLX, valor equivalente a 1.4% do PIB brasileiro. “A OLX contribui com a mudança do comportamento de consumo dos brasileiros e incentiva hábitos mais sustentáveis, mostrando como é fácil e inteligente vender objetos usados”, explica Pupo Neto, diretor de Marketing da OLX Brasil.

Para incentivar um consumo mais consciente e compartilhado, a OLX separou algumas dicas que fazem a diferença no dia a dia. Confira abaixo:

- Ao produzir uma única cama nova, o CO2 liberado na atmosfera é equivalente ao emitido por duas plantas durante 10 anos**. Avalie em sua casa quais itens você não utiliza há mais de um ano e coloque-os à venda. Dá para vender móveis, objetos de decoração, eletrodomésticos, etc;

- Um estudo feito pela FGV mostra que se você roda menos de 33 Km por dia com o seu carro e só o usa nos finais de semana ou para viajar, você está desperdiçando recursos. Táxis, aluguel de carros e aplicativos de mobilidade urbana são melhores opções nesse caso. A emissão de CO2 para fabricar um automóvel gera uma quantidade suficiente de energia para manter uma casa por um ano**.

- Vai viajar para um local com clima diferente da sua cidade? Vai encarar o frio ou precisa de algo mais esportivo para uma caminhada? Você pode alugar ou comprar itens usados antes de gastar com roupas novas que nunca mais vão sair do seu guarda-roupas.

- Está fazendo um novo curso e os livros do novo semestre estão caros? Tem sempre alguém concluindo o curso ou período que você está começando. Procure em sites de usados se o material desejado está à venda por um preço mais acessível;

- Seu filho cresceu? Revenda roupas, brinquedos e itens infantis. Como normalmente são produtos caros, muita gente prefere comprá-los usados.

- Saiu um modelo novo do seu celular e você quer trocar? Então fique alerta com os lançamentos, pois é a hora certa de vender e comprar smartphones usados. Produzir um novo celular contribui com 56 kg de CO2 na atmosfera**;

- Seu imóvel na praia ou no interior fica parado a maior parte do ano? É possível alugá-lo para temporadas e ainda utilizá-lo quando tiver vontade. A renda do aluguel ajuda na manutenção do imóvel.

“A OLX é o motor da economia sustentável no Brasil. Nosso modelo de negócio é baseado no novo comportamento consciente do consumidor. Uma atitude mais inteligente, que simplifica a vida, gera dinheiro para quem vende, gera economia para quem compra, aproxima as comunidades e, acima de tudo, ajuda a preservar o planeta", finaliza o executivo.

*A pesquisa, realizada no primeiro semestre de 2016, atingiu 48% da população brasileira acima de 16 anos e teve uma representatividade de 75.274.287 internautas com acesso diário à internet, das classes ABCD de todas as regiões do país.

** Dados calculados por Jem Baldisimo, pesquisador da University of the Philippines.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados