Pesquisar este blog

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Mês Mundial de Conscientização da Infertilidade



A infertilidade feminina e masculina é uma doença sim, mas geralmente tem cura devido aos avanços da Medicina e das técnicas de Reprodução Assistida

Idade, fumo, álcool e outras drogas, grande ganho ou perda de peso, estresse emocional e físico, além de certas doenças, são responsáveis pela infertilidade, que está presente em cerca de 14% dos casais de todo o mundo. Isso significa que um em cada sete casais em idade reprodutiva apresentará dificuldades para engravidar. No Brasil, esse número chega a oito milhões, segundo o Dr. Edson Borges Jr., especialista em reprodução assistida e diretor científico do Fertility Medical Group, um dos grupos mais conceituados do setor.


IDADE

Mulheres dos 20 aos 30 anos têm todo mês entre 20% e 30% de chance de engravidar. Dos 30 aos 34 anos, o percentual cai para 15%. Depois dos 35 anos, é de apenas 10%. E é sabido que, hoje em dia, elas querem ter filhos cada vez mais tarde, depois de se estabilizar profissionalmente e financeiramente, o que dificilmente acontece antes dos 30 anos.

“Assim, quem tem mais de 35 anos e tentou engravidar naturalmente sem sucesso, por seis meses seguidos, deve procurar ajuda especializada. Quanto mais esperar, menores serão suas chances de ser bem sucedida”, explica o Dr. Edson.

Homens inférteis podem ter filhos
Pesquisas recentes mostram que não é somente a idade da mulher que interfere nas taxas de fertilidade. A do homem também. Quanto maior for, maiores também são as chances de alterações na produção e na qualidade dos espermatozoides. As consequências disso podem ser dificuldade na formação de um embrião, um risco maior de abortos e de síndromes genéticas.
É importante saber que o problema pode ser dos dois membros do casal. “Em geral, as causas de infertilidade estão distribuídas igualmente entre homens e mulheres (por volta de 40% cada), além de um percentual sem causa aparente”, diz Borges.
Entre as principais causas da esterilidade masculina está a Varicocele (varizes na região escrotal), que é diagnosticada por um simples exame físico e é responsável por até 40% dos casos. Outras são a Falência Testicular Primária, Infecções Seminais, Criptorquidia (testículos fora da bolsa testicular), Obstruções do Epidídimo (ou canal deferente) e Disfunções Hormonais.
A evolução das técnicas de Reprodução Assistida permite hoje que muitos problemas seminais sejam resolvidos, possibilitando que o homem consiga ter filhos. Dentre essas técnicas estão o Processamento do Sêmen para Inseminação Artificial e a Fertilização In Vitro com ICSI (quando se injeta um único espermatozoide dentro do óvulo).
Segundo o Dr. Edson, de uma forma geral, cada um destes processos resulta em uma probabilidade de gravidez que varia de 25% a 50%, levando em conta também a condição da mulher.
Assim, se a infertilidade é uma doença, não deve ser motivo para desistir do sonho de ter um filho. Afinal, os recursos para tratá-la são muitos, e esse desejo tem grande probabilidade de se tornar realidade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como utilizar a Black Friday a favor do seu negócio

O Brasil não está em um de seus melhores momentos e, ultimamente, vive uma insegurança política que vem desaquecendo a economia. No entan...