Pesquisar Blog Jornal da Mulher

terça-feira, 27 de junho de 2017

Que vacinas meu gato deve tomar?



Se o seu gatinho já está habituado a passear, a ida ao veterinário não deve ser um grande problema, mas os mais ariscos podem se tranquilizar com a camisa calmante (vista mangas compridas, por via das dúvidas!). Priorize a segurança de vocês no carro, acomodando-o na bolsa ou na caixa de transporte, que ainda pode ganhar uma “sprayzada” de feromônio.

Para ser vacinado, o gato deve ter sido vermifugado anteriormente e estar saudável, sem febre ou diarreia. A primeira dose só pode ser dada quando o bichano tiver entre 45/60 dias (consulte seu veterinário!),para evitar que os anticorpos passados da mãe para o filhote interfiram na eficácia da imunização.

Existem três tipos de vacinas polivalentes. A V3 protege os bichanos contra Panleucopenia, Rinotraqueíte e Calicivirose. A V4 inclui também proteção contra Clamidiose e a V5 soma a imunização contra Leucemia Felina.


Panleucopenia

Febre, vômitos, inapetência, prostração e diarreia são alguns dos sintomas em animais infectados. Pode prejudicar a coordenação motora de filhotes. É transmitida por meio do contato com animais doentes ou objetos contaminados.


Rinotraqueíte

Altamente contagiosa, tem como sinais espirros, secreções nasais, rinite, salivação, conjuntivite, febre, falta de apetite. É causada pelo herpesvírus e pode levar filhotes a óbito.


Calicivirose

Tem sintomas semelhantes à rinotraqueíte viral, mas causa úlceras na cavidade oral do animal.


Clamidiose

Afeta a conjuntiva dos animais, que é a membrana que recobre a parte frontal do globo ocular, posteriormente atingindo o sistema respiratório. Entre os sintomas estão a conjuntivite, corrimento nasal e ocular persistente, espirros, dificuldade respiratória, febre, falta de apetite, pneumonia e prostração.


Raiva

Responsável por alterações no sistema neurológico, a Raiva não tem cura, e a única forma de prevenção é a vacina. Alterações de comportamento, fotofobia (medo de luz),agressividade, hidrofobia (medo de água) e falta de apetite são alguns dos sintomas mais comuns da doença.


Leucemia Felina (FeLV)

Causada pelo vírus FeLV (Feline leukemia virus),compromete as defesas imunológicas, tornando os bichanos vulneráveis a doenças infecciosas, lesões na pele, desnutrição, cicatrização mais lenta de feridas e problemas reprodutivos. A infecção se dá pelo contato com saliva, urina e fezes de animais infectados, portanto, o simples fato de dividir a mesma tigela de água com um gato doente é suficiente para contaminar o sadio. Gatas prenhas podem transmitir o vírus pelo parto ou pelo leite a seus filhotes. Entre os sintomas estão perda de peso, secreção nasal e ocular excessiva, diarreia persistente, imunodeficiência e tumores em células linfáticas.



Reações

Embora não seja frequente, o gatinho pode ter reações à vacina – como coceiras na cabeça e no rosto, dificuldades respiratórias, vômitos e falta de coordenação. O bichano também pode ficar com a região da picada dolorida e até mancar, mas em geral isso passa em pouco tempo. Sempre comunique imediatamente seu veterinário sobre qualquer reação ou comportamento anormal.





Cláudia Pizzolatto e Regina Ramoska






Nenhum comentário:

Postar um comentário