Pesquisar Blog Jornal da Mulher

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Amamentar pode ajudar a prevenir cânceres de mama e ovário



Médica nutróloga da ABRAN reforça que o aleitamento materno também pode evitar anemia, diabetes e infarto cardíaco


Além de ser responsável por aumentar o vínculo entre a mãe e o bebê, o aleitamento materno pode ajudar a prevenir doenças como anemia, câncer de mama e de ovário, diabetes e infarto cardíaco, explica a Dra. Elza de Mello, médica nutróloga da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Isso acontece, segundo a especialista, porque, durante a amamentação, as mulheres passam a produzir mais ocitocina – hormônio que inibe as substâncias que desencadeiam nervosismo e estresse.

“Existem estudos observacionais que comprovam esta ligação entre a amamentação e a prevenção de doenças crônicas. Então, além de benéfico para o bebê, o aleitamento também é ótimo para a mãe”, explica a médica nutróloga. 

Um levantamento publicado no Journal of the American Academy of Pediatrics, em 2012, mostrou uma redução de 28% nos índices de câncer de mama e nos ovários nas mães que amamentaram por mais que 12 meses. A análise também comprova que houve diminuição nos casos de leucemia e linfoma entre as crianças que foram amamentadas por mais que seis meses. A leucemia linfocítica aguda teve redução de 20%, enquanto a do tipo mielogênica aguda, 15%.

O estudo ainda mostra que houve uma redução de 30% do diabetes tipo 1 naquelas crianças que foram exclusivamente alimentadas por meio da amamentação por pelo menos três meses. Houve também uma diminuição entre 15% e 30% nos índices de obesidade nos jovens e adultos que foram amamentados na infância em comparação aos que não foram.

O leite materno ainda é o alimento mais completo para os bebês, já que seus nutrientes estimulam o desenvolvimento do cérebro e da imunidade. A recomendação é que as crianças sejam alimentadas apenas com o leite materno até os seis meses, e com alimentos sólidos e leite até os dois anos. A amamentação ainda previne hemorragias pós-parto, fraturas por osteoporose, artrite reumatoide, e contribui na recuperação do peso, já que gera um aumento da atividade metabólica.




ABRAN – Associação Brasileira de Nutrologia
 www.abran.org.br - facebook.com/nutrologos - Instagram @nutrologia





Nenhum comentário:

Postar um comentário