Pesquisar este blog

sábado, 22 de abril de 2017

Pediatras alertam que mais de 50% das crianças brasileiras tiveram ou terão algum tipo de parasitose



Sociedade de Pediatria do RS apoiou ação realizada pela Federação Brasileira de Gastroenterologia em Porto Alegre (RS)


Estudos mostram que até 33% da população adulta brasileira sofre com algum tipo de parasitose, enquanto no público infantil, este número sobe para mais de 50%. De acordo com a presidente da Sociedade de Pediatria do RS (SPRS), Cristina Targa Ferreira, é sabido que o Brasil é considerado, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), um dos países onde a parasitose é endêmica. A gastroenterologista pediatra alerta que as doenças provenientes das parasitoses são causadas por agentes infecto-parasitários que produzem sérios dano físico, cognitivo e socioeconômico em crianças e adolescentes, principalmente, em comunidades de baixa renda.

- As crianças devem ser o principal alvo de controle das parasitoses, pois são as que mais sofrem os efeitos negativos dos parasitas e atuam como vetores na manutenção da transmissão. Estudos também apontam elevada frequência de poliparasitismo em crianças de creches públicas e privadas, e escolares de diversas regiões urbanas. Esses dados apontam para a importância do foco urbano na epidemiologia das parasitoses intestinais em crianças. A creche por ser local de aglomeração de crianças é um ambiente fortemente expositor ao problema - destaca Cristina Targa Ferreira.

As infecções, além de causarem importante impacto negativo na vida da criança, ainda podem ocasionar óbito em crianças de populações vulneráveis. A falta ou má qualidade de saneamento básico e a higiene pessoal e domiciliar inapropriadas são fatores que favorecem a contaminação da população por parasitas intestinais. Para evitar que isso aconteça, é fundamental que medidas preventivas simples sejam tomadas e transformadas em hábitos diários, capazes de proteger a família toda.

Com o objetivo de alertar os gaúchos para o problema, a Federação Brasileira de Gastroenterologia, através da organização Movimento Brasil Sem Parasitose, promoveu atividade de conscientização em Porto Alegre (RS) .  

Os principais sintomas das doenças causadas por parasitoses gastrointestinais são: dores abdominais, diarreia, gases, falta de apetite, perda de peso, náuseas e vômitos, tosse, febre, falta de ar, anemia, coceira no ânus e vontade de comer coisas diferentes, como terra, areia e tijolo - relata.


Prevenção

Saneamento Básico:
 
- Tratamento e fornecimento de água potável

- Eliminação dos focos de contaminação (lixo e esgoto a céu aberto)

- Coleta de lixo

- Implantação de sistemas de tratamento de esgoto

- Educação da população sobre a prevenção


Higiene Pessoal:
 
- Lavar bem as mãos, com água e sabão, antes das refeições e após usar o banheiro

- Manter as unhas aparadas, evitando colocar a mão na boca

- Tomar banho diariamente

- Lavar bem as roupas íntimas e de cama, se possível com água fervida

- Andar sempre calçado, principalmente nas áreas onde não há esgoto encanado. 

- Evitae brejos e água parada


Higiene Doméstica:
 
- Manter a casa e o terreno em volta sempre limpos, evitando a presença de moscas e outros insetos

- Manter os cestos de lixo e a caixa d’água sempre bem fechados

- Não deixar as crianças brincarem em terrenos baldios, com lixo ou água poluída

- Evitar animais dentro de casa. Quando tiver, cuidar da higiene deles, dos locais onde costumam ficar e não esquecer de levá-los periodicamente ao veterinário





Mariana da Rosa





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados