Pesquisar no Blog

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Novembro Azul: câncer de próstata em pets é raro, porém, mais agressivo


CRMV-SP alerta para cuidados com cães idosos e de raças de grande porte


No mês mundial de campanha para prevenção ao câncer de próstata, o Novembro Azul, o alerta para o diagnóstico precoce da doença também é válido para os pets. Apesar do índice de surgimento desta enfermidade ser baixo entre os cães (e raro em gatos), quando ocorre, a doença é bastante agressiva. O acompanhamento médico-veterinário preventivo, em especial de animais idosos, é fundamental.

Ainda não existe um registro nacional de câncer animal, por isso não há dados oficiais sobre a incidência – embora já existam, no âmbito acadêmico, iniciativas com o objetivo de reunir estas estatísticas. “Não temos estatísticas nacionais, mas na América do Norte, a ocorrência em cães é de menos de 0,6%”, informa Rodrigo Ubukata, médico-veterinário especialista em Oncologia Veterinária, membro do Grupo de Trabalho em Quimioterapia Veterinária do CRMV-SP e diretor da Associação Brasileira de Oncologia Veterinária (Abrovet).

“O câncer de próstata é mais comum em cães idosos acima de sete anos, então a idade é um fator predisponente”, informa a médica-veterinária Maria Cristina Reiter Timponi, presidente da Comissão de Entidades Veterinárias Regionais do Estado de São Paulo, ligada ao CRMV-SP.

Ubukata esclarece que, por se tratar de um tipo de tumor de baixa frequência nos pets, ainda são necessários mais estudos para atestar possíveis causas e formas de tratamento. “Existem fatores genéticos e moleculares, como os descritos em humanos, estão sendo também avaliados. O aumento da expectativa de vida dos animais é um fator que pode contribuir para o aparecimento deste tumor”, explica.

O especialista informa que, geralmente, os casos de câncer de próstata estão associados aos animais de grande porte. No entanto, os cães das raças beagle, scottish terrier, poodle e pastor de shetland são bastante acometidos pela doença e relatados nas pesquisas.


Sintomas, diagnóstico e prevenção

Para identificar a possibilidade da doença, Maria Cristina Reiter Timponi orienta os tutores a ficarem atentos a alguns sintomas que o animal pode apresentar. Entre eles, estão: dificuldade de urinar, gotejamento de sangue no final da micção, dificuldade de defecar, urina com cor e aspecto alterado, infecções urinárias recorrentes, tenesmo (vontade constante de evacuar, geralmente acompanhada de cólicas) e perda de peso.

“O diagnóstico é feito através do toque retal, como no homem, meio pelo qual se pode notar aumento de volume, alteração de formato e consistência da próstata. Exames de raio-X e ultrassom abdominal também são indicados”, explica a médica-veterinária – que ressalta também a relevância das observações apresentadas pelo tutor do animal, como complemento aos exames clínicos e de urina.

“Infelizmente nenhuma medida preventiva para tumores de próstata existe. Nada ainda está comprovado. O que recomendamos é o tutor ficar atento com qualquer mudança de comportamento que seu cão apresentar e procurar um médico-veterinário para realizar avaliação”, orienta Rodrigo Ubukata.


Tratamento

O tratamento pode envolver procedimentos cirúrgicos (prostatectomia), radioterapia, laserterapia e manejo clínico. “A quimioterapia ainda não está bem descrita (com relação a sua eficiência, resposta e tempo de sobrevida) para o tratamento sistêmico, mas pode ser avaliada a utilização, baseando-se em oncologia comparada com humanos”, afirma o especialista em Oncologia Veterinária, Rodrigo Ubukata.

Nos casos de abscesso (acúmulo de pus decorrente de uma inflamação) na próstata, o tratamento é feito com antibiótico, porém a presidente da Comissão de Entidades Veterinária Regionais, Maria Cristina Reiter Timponi, salienta que nem sempre esse método é eficaz, devido à grande dificuldade de atuação das substâncias neste órgão.





Sobre o CRMV-SP
O CRMV-SP tem como missão promover a Medicina Veterinária e a Zootecnia, por meio da orientação, normatização e fiscalização do exercício profissional em prol da saúde pública, animal e ambiental, zelando pela ética. É o órgão de fiscalização do exercício profissional dos médicos-veterinários e zootecnistas do estado de São Paulo, com mais de 38 mil profissionais ativos. Além disso, assessora os governos da União, estados e municípios nos assuntos relacionados com as profissões por ele representadas.


Um comentário:

  1. Thank you...I really like reading the writing that you make on your article because in my opinion, your article is very unique and easy to read and contains meaning that is useful for people.

    Agen Joker123
    Bandar Joker123
    Slot Joker123
    Game Joker123
    Joker123

    ResponderExcluir

Posts mais acessados