Pesquisar no Blog

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Verão exige cuidados para evitar a desidratação e intoxicação alimentar


Os cuidados com a alimentação na estação mais quente do ano devem ser redobrados.

Alimentos e bebidas necessitam de cuidados e atenção redobrados em função das altas temperaturas e umidade do ar no verão. De acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS, cerca de 600 milhões de pessoas no mundo adoecem por ingerirem alimentos contaminados; mais de 40% delas são crianças.


As cautelas com a alimentação precisam ser priorizadas no decorrer do ano, mas, no verão, casos de intoxicação alimentar e desidratação surgem com maior frequência no Brasil – OMS. O gastroenterologista cooperado à Unimed Blumenau, Bruno Walter Wascheck, explica sobre os distúrbios e dá algumas dicas para preveni-los.


Intoxicação alimentar: Ocorre com a ingestão de alimentos ou água contaminados por bactérias, vírus e microrganismos capazes de sobreviver e se multiplicar no intestino humano. “Os sintomas podem variar, entre eles pode-se destacar náuseas, vômito, dores abdominais, indisposição e diarreia intensa. Normalmente, o organismo resolve o problema entre 5 e 7 dias, com pouca ou nenhuma interferência de medicamentos”, explica.

 “No verão é difícil evitar que a doença aconteça devido ao calor intenso e a vasta umidade do ambiente. Mesmo conservando bem os alimentos, existe a probabilidade de contaminação. Comidas guardadas na geladeira por 48 horas ou mais, também estão suscetíveis ao contágio”, completa. Abaixo o especialista dá algumas dicas para evitar a intoxicação alimentar:

  • Manusear os alimentos com higiene, lavá-los e, sempre que possível, colocá-los submersos em água e vinagre antes de ingeri-los;
  • Atenção redobrada com o ovo, sempre lavar a casca com detergente neutro antes de prepará-lo;
  • Mesmo que os alimentos estejam dentro do prazo de validade, não consumi-los se estiverem com aroma, cor ou sabor alterado;
  • Não ingerir carne crua, leite que não sofreu pasteurização ou esterilização, alimentos que foram fritos em óleo usado e que estejam com a embalagem violada;
  • Lavar todos os ingredientes com água e sabão antes de guardá-los na geladeira.

Hidrate-se!

A desidratação é uma consequência da perda excessiva de líquidos e sais minerais do corpo. Muitas vezes, está associada a vômito e diarreia provocados pela intoxicação alimentar. “Os sintomas mais comuns são olhos fundos, boca seca, sede com frequência, diminuição da quantidade de urina, desmaios, tonturas e cansaço excessivo”, explica.

 “A hidratação é essencial em todas as épocas do ano, mas, principalmente no verão. Para isso, indica-se o consumo livre de água mineral, sucos naturais, água de coco e chás. Ao praticar exercícios físicos na estação, o corpo perde muitos sais minerais , por isso, é importante não tomar líquidos apenas quando se sente sede. É importante saber que a sede é o primeiro sinal da desidratação”, completa Wascheck. Abaixo o especialista lista algumas dicas para evitar a desidratação:

  • Ingerir com abundância água e sucos naturais;
  • Evitar exercícios físicos e exposição ao sol durante os dias de calor intenso;
  • Diminuir o consumo de álcool, uma vez que o álcool aumenta a perda de líquido pela urina;
  • Ingerir alimentos leves como folhas e carne branca.

“A intoxicação alimentar e a desidratação são doenças comuns no verão, mas, com cuidados básicos, é possível evitá-las e curtir a estação com bem-estar. Para uma boa qualidade de vida, respeite seu corpo, tenha uma alimentação balanceada, busque hidratar-se diariamente e atente-se aos sinais do seu organismo”, conclui o gastroenterologista cooperado à Unimed Blumenau.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados