Pesquisar este blog

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Enem: controle emocional deve fazer parte da preparação


Neste momento, estudantes sentem a tensão da reta final para o Exame; Celso Lopes de Souza, psiquiatra e diretor do Programa Semente, afirma que o domínio de algumas habilidades socioemocionais é um grande aliado que pode impactar no resultado


O enfrentamento dos vestibulares e do ENEM talvez seja o primeiro grande desafio profissional dos jovens. Um candidato que não apresentar um grau de excelência nos quesitos técnicos (conhecimento do conteúdo programático) e psicológico (administrar a ansiedade no momento da prova) terá dificuldades para conseguir um bom resultado. A um mês do ENEM, ainda é possível desenvolver algumas técnicas que podem auxiliar no equilíbrio emocional.

Para Celso Lopes de Souza, psiquiatra e fundador do Programa Semente - metodologia que desenvolve a aprendizagem socioemocional em escolas brasileiras - o furacão de emoções que invade os vestibulandos nessa época do ano pode ser melhor administrado quando algumas habilidades socioemocionais são colocadas em prática. Por exemplo, reconhecer e nomear as emoções, identificar os pensamentos que estão estruturando essas emoções e reformular esses pensamentos quando eles estão distorcendo a realidade são estratégias sólidas para desenvolver o autocontrole na hora da prova. “Chamamos isso de flexibilização cognitiva”, afirma.

Celso explica que, mesmo capacitados em termos de conhecimento, muitos estudantes “derrapam” no momento da prova e comprometem o resultado. “A ansiedade na sua forma improdutiva faz com que esses alunos fiquem tão nervosos a ponto de não conseguirem reverter em pontos o que sabem - têm brancos e sensações físicas como: taquicardia, suor excessivo e tremores”. Numa aula sobre autoconhecimento e autocontrole do Programa Semente, por exemplo, o aluno é incentivado a refletir sobre suas emoções e se conhecer melhor.

De forma estruturada, o programa trabalha os cinco domínios: autoconhecimento, autocontrole, empatia, tomada de decisões responsáveis e habilidades sociais. O controle da ansiedade é fomentado com estratégias que auxiliam os estudantes a enfrentarem situações, procurando reconhecer os desafios e as capacidades de forma realista e sem distorções.

“Saber reconhecer emoções, relacionando-as com os pensamentos que as geram e entendendo como tudo isso influencia o comportamento permite que cada um compreenda melhor as próprias limitações e conheça suas fortalezas, o que aumenta a confiança, o otimismo e a autoestima”, afirma Celso. Para isso, o programa ensina ao aluno estratégias para identificar e questionar os pensamentos, especialmente quando as emoções estiverem mais atrapalhando do que ajudando.



Programa Semente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados