Pesquisar este blog

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Alguns alimentos são aliados de mulheres que querem adiar o sonho de ser mãe


Já é sabido que o que colocamos no prato influencia diretamente a nossa saúde e bem-estar. Mas, você sabia que a alimentação também é capaz de coordenar e até preservar a fertilidade?

Para casais que estão planejando engravidar tardiamente – após os 40 anos – alguns alimentos são indicados para tornar a concepção mais fácil de ser alcançada. A médica nutróloga Dra. Ana Luisa Vilela, da capital paulista, lembra que muitas mulheres estão deixando para engravidar depois de alcançarem a estabilidade profissional, mas muitas podem ter dificuldades para conceber.

“Alguns minerais ajudam muito na regulação e na produção de hormônios sexuais. Por isso, quem deseja engravidar mais tarde, deve inclui-los no cardápio para manter a fertilidade alta”, diz a médica.

Confira abaixo, alguns dos principais alimentos para conseguir conceber:


- Zinco: essencial na produção de hormônios sexuais masculinos e femininos, pode ser encontrado na aveia, na gema de ovo, nas ostras, na carne vermelha, no centeio e nas frutas secas.


- Vitaminas e B6: para potencializar os efeitos dos hormônios e fortalecer óvulos e espermatozoides. Estão presentes na banana, no brócolis, na couve-flor e na semente de girassol.


- Ácidos graxos (ômegas 3 e 6): são antioxidantes poderosos que ajudam o metabolismo hormonal. Estão em peixes de água fria, como atum e salmão, castanhas, linhaça e chia.

“O ideal, para quem quer manter a fertilidade em ordem, é consumir cinco porções de frutas por dia e evitar carboidratos refinados, açúcares e gorduras, além do excesso de cafeína”, diz a Dra. Ana, “os antioxidantes também são importantes para o crescimento e amadurecimento das células reprodutivas”.

Também é importante aumentar a ingestão de alimentos ricos em ácido fólico (couve, espinafre e frutas cítricas), ferro (feijão, salsinha, carne vermelha), vitamina E (óleos vegetais), vitamina D (luz do sol, sardinha, gema de ovo, salmão), selênio (castanha-do-Pará) e zinco (ostras e frutos do mar).

“Uma alimentação que prioriza alimentos naturais e integrais é muito mais saudável para toda a vida e possibilita que o organismo se mantenha sempre preparado para a gestação. Além disso, ao cortar o excesso de sódio, gordura, carboidratos e açúcares, a saúde como um todo sai ganhando”, conclui a nutróloga.




FONTE: Dra. Ana Luisa Vilela - Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Itajubá – MG, especialista pelo Instituto Garrido de Obesidade e Gastroenterologia (Beneficência  Portuguesa de São Paulo) e pós graduada em Nutrição Médica pelo Instituto GANEP de Nutrição Humana também na Beneficência Portuguesa de São Paulo e estágio concluído pelo Hospital das Clinicas de São Paulo – HCFMUSP. Hoje, dedica-se a frente da rede da Clínica Slim Form a melhorar a autoestima de seus pacientes com sobrepeso com tratamentos personalizados que aliam beleza e saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados