Pesquisar este blog

sábado, 5 de agosto de 2017

Papel e caneta: as dificuldades dos jovens em escrever uma redação



Escrever uma redação torna-se difícil, quando a escrita está dissociada da leitura... 


A leitura como fonte de informação oferece subsidios para a ampliação de repertório, possibilitando a construção de ideias e fundamentação de opiniões.
A escola desde muito cedo deve ter como compromisso propiciar o desenvolvimento das competências leitoras e escritoras, pois ao constituir-se escritor e autor, o estudante estará produzindo para si e para os outros, estará (re)significando seus conhecimentos e (re)estruturando seus pensamentos. A ênfase na escrita é fundamental, assim como a na leitura.

Ler e escrever são duas práticas indissociáveis e de responsabilidade dos professores das diferentes áreas do conhecimento. São práticas fundamentais na educação básica, principalmente nos anos iniciais do ensino fundamental.

Os jovens encontram dificuldades para escrever e estruturar uma redação, porque lhes faltam leitura, repertório, informações, e por consequência argumentação e autonomia. Essa aprendizagem deve ser construída e desenvolvida com os estudantes, através da leitura, da observação, da análise, da interpretação, da escrita e reescrita, com o incentivo das famílias e de metodologias pedagógicas eficazes, envolvendo todas as áreas do conhecimento, e não, como tarefa de única responsabilidade da Língua Portuguesa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados