Pesquisar este blog

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Pais merecem atenção e cuidados



Em homenagem ao Dia dos Pais, psicanalista e sexóloga Lelah Monteiro fala sobre a importância dos papais cuidarem da saúde física e emocional


Tidos como super-heróis e invencíveis, os pais, muitas vezes, carregam uma ‘carga’ muito pesada no dia a dia. De acordo com a psicanalista e sexóloga  Lelah Monteiro (www.lelahmonteiro.com.br), além do excesso de stress no trabalho, os pais tem que lidar ainda com a cobrança social e familiar, o que tem feito os homens produzirem menos e terem menos vontade de realizar. “E nada melhor do que comemorar o Dia dos Pais lembrando que eles merecem cuidar da saúde física e emocional”.

Segundo Monteiro, pensamentos como homem não chora, não engravida, não fica doente já estão ultrapassados. “Há pouco tempo começamos a falar da saúde do homem jovem e maduro. Aquele que está em plena atividade produtiva econômica. Falo do homem saudável, mas que anda cansado e desanimado com as perspectivas sociais. Muitos homens jovens estão idosos hoje porque foram negligenciados. Este homem não pode parar de trabalhar para se cuidar. O que desejamos é que ele faça cada vez mais sucesso, portanto para isso é preciso que ele inclua na agenda alguns cuidados fundamentais”, diz Lelah.

Atividade física e intimidade regulares são os primeiros cuidados. “O homem precisa também se sentir desejado e apaixonado. É preciso se livrar da lista de compromissos e ter um momento somente a dois. Mas não para dormir e sim para namorar. Essa é uma das principais queixas que tenho em meu consultório e que as pesquisas internacionais comprovam. A vida moderna tem deixado os homens impotentes, principalmente, nas suas camas”, explica a sexóloga.

A saúde dos pais é tudo o que lhes traz plenitude, bom humor, descontração e aumento da produtividade. “Não existe receita mágica. Mas um pouco de pragmatismo, traço bem masculino, ajuda”, comenta Lelah. Ela sugere para os pais começarem fazendo um check up anual, isso inclui uma ida ao urologista, e uma dieta que inclua beber menos e parar de fumar. “Caso haja  no meio do caminho algum tropeço, tudo bem, volte e recomece. É importante livrar-se da culpa. O homem também sente culpa, sofre e demora para admitir. Que bom que aos poucos vêm procurando ajuda profissional para ajudá-lo a jogá-la fora”, explica.

Ela reforça que é importante que os homens tenham coragem para assumir toda a fragilidade de gigantes que são, cuidando da saúde física, emocional, espiritual e transformando a sociedade, onde juntos homens e mulheres possibilitem a construção de nações mais igualitárias, justas e menos hipócrita.





Lelah Monteiro - É sexóloga e psicanalista pela Escola de Psicanálise de São Paulo, educadora Sexual pelo Instituto Kaplan e terapeuta sexual pela USP. Palestrante, master coach e fisioterapeuta especialista em sexualidade pela Universidade Estadual de Londrina. Co-autora do livro ‘Relacionamentos amorosos 2,com o capítulo ‘Pode um relacionamento sobreviver ao vaginismo?’. É membro das associações: Associação Brasileira de Fisioterapia Pélvica, ABRAFISM - Associação Brasileira de Fisioterapia Saúde da Mulher, ISSM - Sociedade Internacional de Medicina Sexual e da ISLAM - Sociedade Latino Americana de Medicina Sexual. www.lelahmonteiro.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados