Pesquisar Blog Jornal da Mulher

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Estilo de vida dificulta tratamento do diabetes



Nova terapia semanal simplifica o controle da doença crônica que atinge um em cada 11 adultos no mundo[i]


Após o diagnóstico do diabetes, surge a necessidade de mudar o estilo de vida e conciliar dieta, exercícios e tratamento com a rotina diária. Esse é o grande desafio enfrentado diariamente por 14,3 milhões de brasileiros diagnosticados com a doença - a maioria com o tipo 2. Até 2040, serão 23,3 milhões de pessoas vivendo com diabetes no Brasil1

“No caso das doenças crônicas como o diabetes, a adesão ao tratamento representa um dos principais obstáculos para a obtenção de um bom controle. Cerca de 43% dos pacientes abandonam o tratamento nos primeiros dois anos, assim, facilitar a adesão ao tratamento oferecendo medicamentos de posologia simples e adaptáveis à rotina do paciente é fundamental”, destaca o presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), Dr. Luiz Alberto Turatti.

As terapias que procuram simplificar o controle da doença têm a preferência dos pacientes como comprova um estudo[ii] conduzido com adultos com diabetes tipo 2 que concluiu que os pacientes preferem a terapia semanal. 

O levantamento feito com 243 pacientes com idade média de 60 anos avaliou a preferência dos pacientes em relação às duas opções injetáveis de agonistas do receptor GLP1: dulaglutida (de aplicação semanal) e liraglutida (de aplicação diária). O GLP1 é um hormônio produzido pelo organismo, que estimula a liberação da insulina.

De acordo com o estudo2, quando a eficácia dos medicamentos é similar, outros aspectos – como frequência de uso e tipo do dispositivo de aplicação – são mais relevantes para os pacientes. A redução do número de injeções de 365 para 52 ao ano foi um dos aspectos mais relevantes apontados pelos entrevistados2.

A dulaglutida, comercializada pela Lilly com o nome de Trulicity, oferece controle eficaz da hiperglicemia (nível elevado de açúcar no sangue) com uma aplicação a cada 7 dias. O produto está disponível em uma caneta aplicadora pronta para uso que tem uma agulha de pequeno calibre, que não fica visível, e permite confirmar a aplicação da dose. 

O tratamento do diabetes tipo 2 visa manter os níveis de glicose no sangue dentro dos limites adequados, reduzindo o risco de complicações a longo prazo. A maioria dos pacientes começa o tratamento com mudanças no estilo de vida, como dieta, exercício e controle de peso. Se essas alterações não forem efetivas, passa-se ao uso de medicamentos orais ou terapias injetáveis.




Eli Lilly and Company






[i] INTERNATIONAL Diabetes Federation. IDF Diabetes Atlas 7th edition. Disponível em: <http://www.idf.org/diabetesatlas>. Acesso em: 12 ago. 2016.
[ii] GELHORN, H.; POON, J. L.; DAVIES, E. W.; PACZKOWSKI, R.; CURTIS, S. E.; BOYE, K. S. Evaluating preferences for profiles of GLP-1 receptor agonists among injection-naïve type 2 diabetes patients in the UK. Journal of Patient Preference and Adherence, United Kingdom, 2015, n. 9, jun. 2015. < https://www.dovepress.com/evaluating-preferences-for-profiles-of-glp-1-receptor-agonists-among-i-peer-reviewed-article-PPA >. Data de acesso: 19 nov. 2016.



Nenhum comentário:

Postar um comentário