Pesquisar Blog Jornal da Mulher

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Dra. Denise Steiner: tatuagem em olheiras, quais os riscos desse procedimento?



A causa das olheiras não está determinada, porém estão envolvidos fatores como genética, tipo de pele, calibre dos vasos, formato do rosto, alergias como a atopia, além de pigmentação e flacidez causadas pelo envelhecimento.

O aparecimento das olheiras mais escuras está relacionado à espessura milimétrica da pele e sendo assim, por causa da transparência, os vasos e a musculatura ficam aparentes provocando a tonalidade  "azul-enegrecida" na região. Essa área possui uma grande quantidade de vasos sanguíneos que auxiliam na irrigação e nutrição dos olhos sendo essenciais para manter a qualidade visual.

A olheira pode ser tratada com peelings, laser, preenchimento, radiofrequência, entre outros. No entanto, em pessoas jovens que geneticamente tem olhos fundos e escuros, há maior dificuldade em conseguir um clareamento satisfatório das olheiras. Por isso, algumas pessoas têm aderido ao tratamento com tatuagem nessa região. Trata-se de uma técnica que aplica tinta permanente sobre as olheiras como se fosse uma base corretiva. 

No entanto, é preciso fazer um alerta: o procedimento é perigoso principalmente se realizado por profissionais que não são médicos e não tiveram a oportunidade de aprender a anatomia detalhada. A tatuagem, quando realizada por profissionais treinados e com assepsia, pode ser interessante e segura. Entretanto, na região dos olhos, a associação de pele muito fina com inervação e vascularização complexas torna o procedimento muito arriscado.

Em primeiro lugar, o perigo está relacionado ao risco de infecções e contaminações, pois, em geral, as tintas aplicadas não são estéreis. Colocar uma agulha com material não estéril numa área dessas tem um alto risco de contaminação. Em segundo lugar, as agulhas das máquinas de tatuagem podem romper os vasos sanguíneos do local causando hemorragias e hematomas sérios.

Outro risco é o entupimento de algum vaso importante que pode até levar a cegueira. Na região das olheiras existem vasos sanguíneos de vários calibres e, no caso dos maiores, eles podem carregar algumas partículas da tinta e causar alergia ou infecção em qualquer local do organismo.

Portanto, se a questão é mascarar a cor da olheira, o mais seguro é usar corretivos que estão cada vez mais completos e com tecnologia moderna. Alguns conseguem até tratar a pele enquanto escondem a cor escurecida das olheiras. Os corretivos, duram apenas algumas horas, mas por outro lado não oferecem nenhum risco a saúde geral ou ocular. A visão é um dos cincos sentidos e essencial para uma vida plena e prazerosa não havendo justificativa estética para colocá-la em risco.






Dra. Denise Steiner - médica pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), da qual foi presidente entre os anos de 2013 e 2014. Dra. Denise Steiner também é especialista em Hansenologia, em Saúde Pública e em Medicina do Trabalho, além de ser Doutora em Dermatologia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Também é autora de várias publicações de reconhecimento nacional e internacional, entre elas: “Calvície – Um assunto que não sai da cabeça”, “Beleza sem Mistério” e “Envelhecimento Cutâneo”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário