Pesquisar Blog Jornal da Mulher

domingo, 23 de julho de 2017

Consumo de antidepressivos cresce 74% em seis anos, revela pesquisa da SulAmérica



Estudo inédito da seguradora avaliou a utilização do programa de descontos em medicamentos


- Uma pesquisa inédita da SulAmérica sobre o uso de medicamentos entre segurados da companhia revelou que o consumo de antidepressivos aumentou 74% em quase seis anos. De acordo com o levantamento, em 2010 foram adquiridas 35.453 unidades, enquanto que, nos doze meses anteriores a julho de 2016, esse número saltou para 61.859. A pesquisa avaliou os hábitos dos segurados que utilizam o programa de descontos em medicamentos oferecido aos clientes de planos de saúde e odontológicos da companhia – atualmente, uma média de 143 mil pessoas utilizam o benefício a cada mês.

Os antidepressivos ocupam a segunda colocação na lista de medicamentos para os tratamentos das desordens do sistema nervoso, representando 6% do total das vendas nessa categoria. Há predominância de utilização na faixa etária de 50 a 59 anos (mais de 15 mil unidades em 12 meses) e entre mulheres (mais de 38 mil unidades em 12 meses). A comercialização de ansiolíticos também apresentou elevação, passando de 17.197 unidades em 2010 para 36.179 nos doze meses anteriores a julho de 2016. Os remédios mais adquiridos, no entanto, ainda são os analgésicos, com cerca de 10% do total.

Hoje, sabe-se que no cérebro existem células nervosas, os neurônios, e substâncias químicas que estabelecem a comunicação entre elas, que são os neurotransmissores. Em condições normais, a quantidade dessas substâncias é suficiente, porém nos casos em que há depressão a quantidade de neurotransmissores diminui. Os medicamentos antidepressivos regulam esse volume de neurotransmissores, contribuindo para que o cérebro do paciente volte ao estado normal.

“Os quadros depressivos aumentam a cada ano, afetando cada vez mais pessoas em todo o mundo. Buscar acompanhamento médico e psicológico é essencial para chegar ao diagnóstico e a um tratamento adequado. Atualmente, há diversas terapias medicamentosas que podem auxiliar o paciente nesse processo, além da adoção de um estilo de vida saudável e a prática de exercícios físicos”, explica a médica e diretora de Relacionamento com Prestadores de Saúde e Odonto da SulAmérica, Tereza Veloso.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define depressão como um transtorno caracterizado pela tristeza persistente e pela perda de interesse em atividades antes apreciadas, acompanhadas da inabilidade em exercer tarefas rotineiras por um período prolongado. Além disso, pessoas com depressão normalmente apresentam sintomas como perda de interesse, alterações no sono e no apetite, concentração reduzida e sentimentos de ansiedade, angústia, culpa e desesperança. A entidade estima que 350 milhões de pessoas em todo o mundo sejam afetadas pela condição.

Números recentes
O Benefício Farmácia da SulAmérica concede descontos de até 65% em mais de 3.500 medicamentos e dermocosméticos em farmácias conveniadas de todo o país. Para utilizá-lo, basta que o segurado apresente a carteirinha do plano e a receita médica no momento da compra. O benefício já registrou uma economia de mais de R$ 63 milhões aos clientes da SulAmérica neste ano.

Confira a lista dos 10 medicamentos para sistema nervoso mais adquiridos entre julho de 2015 e julho de 2016:

Categoria
Quantidade em unidades
Analgésicos
90.071
Antidepressivos
61.859
Ansiolíticos
36.179
Antiepiléticos
20.469
Hipnóticos
17.344
Antienxaquecosos
14.360
Antivertiginosos
8.071
Nootrópicos
4.790
Anestésicos
4.095
Antitabagismo
5.296




SulAmérica




Nenhum comentário:

Postar um comentário