Pesquisar este blog

terça-feira, 25 de julho de 2017

Cinco habilidades necessárias para a próxima geração de profissionais



Michael Page destaca quais diferenciais os futuros talentos terão
de dominar para ter sucesso no mercado de trabalho


De acordo com a Michael Page, consultoria especializada no recrutamento de alta e média gerência, os futuros talentos precisarão ter o amplo controle de pelo menos cinco habilidades para se destacarem no mundo do trabalho. Saiba quais são:


1 – Domínio de programação
Com o universo cada vez mais digital, informatizado e robotizado, as empresas necessitarão de um volume maior de pessoas que dominem linguagens de programação para automatizarem seus processos e produtos. “A demanda por profissionais com essa habilidade deve ser maior do que a de uma pessoa que domine um segundo idioma”, aponta Ricardo Basaglia, diretor executivo da Michael Page.


2- Inteligência computacional
A exigência por raciocínios mais rápidos, resolução de problemas complexos em curto prazo e produção multitarefa demandará profissionais que tenham a capacidade de absorver e gerenciar mais e melhor os dados. “Essa geração terá de agir com muita rapidez e eficiência. Serão cobrados por isso. Terão de reagir com muita agilidade para superarem desafios mais complexos”, conta o executivo.


3 – Visões e competências com a terceira idade
Com o envelhecimento da população e perspectiva de vida mais longeva do público da terceira idade, haverá muitas oportunidades profissionais para aqueles que decidirem investir na carreira de cuidador ou no desenvolvimento de produtos e serviços destinados a esse segmento. “Haverá uma grande demanda para a população mais sênior. Quem tiver interesse e curiosidade sobre esse crescente mercado, terá boas perspectivas profissionais”, explica Basaglia.


4 – Aptidões para carreiras dinâmicas
Conseguir uma vaga no mercado formal de trabalho será uma tarefa mais árdua a cada dia. Diante desse cenário, os futuros profissionais terão de lidar com a realidade de atuar em regimes de trabalho alternativos. “Será crescente o volume de pessoas dispostas a atuar como terceiros, temporários, freelancers ou em startups e fintechs. Essa nova organização do trabalho já está em curso e terá mais espaço e vagas para aqueles que se dispuserem a atuar em modelos de trabalho alternativos ao convencional”, diz o diretor.


5 – Orientado às best decisions
Empresas buscam best practices para aprimorarem seus resultados e forma de atuação. Mais do que buscar as melhores práticas em outras empresas, as companhias estarão mais atentas aos profissionais que tiverem habilidades que façam a diferença. “Veremos uma busca pelos best decisions. Serão aqueles orientados à resolução de problemas complexos, com raciocínio crítico, flexibilidade cognitiva, ótima administração de pessoas. Quem tiver essas habilidades associadas a um bom perfil técnico e comportamental será bem assediado no mercado”, antecipa Basaglia.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados