Pesquisar Blog Jornal da Mulher

sábado, 24 de junho de 2017

Já ouviu falar em Point of Care?



O Ministério da Saúde aponta que a hipertensão está presente em 25% da população adulta do Brasil, sendo responsável por 40% dos infartos, 80% das causas de derrames e 25% dos casos de insuficiência renal. Dados mais recentes levantados pelo Boletim Epidemiológico HIV/AIDS 2016 (também do Ministério da Saúde) apontam que no Brasil 827 mil pessoas estão contaminadas pelo vírus HIV e 112.000 não sabem que estão contaminadas pelo vírus. Também alarmante, o número de pacientes com diabetes aumentou 61,8% nos últimos dez anos, e a Sociedade Brasileira de Diabetes aponta que metade desses pacientes não sabem que apresentam a doença.

Em comum nesses três casos está a falta de um diagnóstico precoce adequado e acessível para essa população crescente, que transforme desinformação em informação e preencha lacunas epidemiológicas. Nesse cenário, uma das ferramentas que desponta como alternativa para acessar essas informações é o Point of Care (POC). Popularmente conhecido como testes laboratoriais remotos ou testes rápidos, o POC é um termo que denomina uma série de tecnologias de cuidado no ponto de atenção, permitindo a testagem para doenças ou substâncias específicas de forma ágil e sem a necessidade de uma estrutura cara e imobilizada de laboratório de análises clínicas.

É o que aponta Patrícia Carvalho, gerente de produtos cardiometabólicos da Alere Brasil, divisão brasileira da multinacional norte-americana que atua globalmente no ramo de diagnóstico e Point of Care. “Em linhas gerais, são exames simples, que muitas vezes demandam apenas uma pequena amostra de sangue e poucos minutos para se chegar a um resultado, capaz de balizar todo o restante da conduta terapêutica. As máquinas responsáveis por essa análise ainda são pequenas e portáteis, podendo ser transportadas para regiões e populações que dificilmente teriam acesso a um diagnóstico rápido e adequado, e nem sempre são necessárias”, pontua.

A aplicação dessas ferramentas para o preenchimento de lacunas epidemiológicas foi um dos pontos discutidos no primeiro evento científico da área no Brasil, o 1º Encontro Latino-Americano de Point of Care, realizado pela Alere em 2016. Segundo Miriam Franchini, uma das palestrantes do evento e especialista em laboratórios de Infecções Sexualmente Transmissíveis, AIDS e Hepatites Virais, foram os testes rápidos que permitiram ao Ministério da Saúde uma atuação melhor no combate à epidemia de HIV no Brasil.

“Desde que foi implementado o uso dos testes rápidos, conseguimos diagnosticar 255 mil portadores da infecção pelo HIV por esse método. Caso não tivéssemos utilizado essa ferramenta na Saúde Pública, eles jamais teriam sido diagnosticados. Para dar conta de rastrear toda a população suscetível à infecção por HIV, o Brasil teria que realizar um total de 144,9 milhões de testes anualmente, algo impossível de ser feito apenas em laboratórios”, explica a médica.

Além das doenças infecciosas, como HIV, Sífilis, Dengue e até mesmo Influenza, o Point of Care também apresenta ferramentas para atuação no diagnóstico na linha cardiometabólica (com testes para dislipidemias, diabetes e insuficiência cardíaca), toxicologia (testes de abuso de drogas) e até mesmo na veterinária.

Conheça alguns dos exames instantâneos que já podem ser feitos com Point of Care

Diabetes
A Alere oferece um sistema de monitoramento para a medição dos níveis sanguíneos de HbA1c, o principal marcador para o controle do Diabetes glicose, tanto no laboratório como em lugares remotos. O Analisador Alere Afinion™ permite determinar a HbA1c no consultório médico, imediatamente na presença do paciente. Esse diagnóstico é feito com uma única gota de sangue, em três minutos.

Dislipidemia
A dislipidemia descreve quantidades anormais de colesterol e triglicérides no sangue, aumentando o risco de aterosclerose, doença cardíaca, AVC e hipertensão. Com o sistema Alere Afinion, obtém-se o perfil lipídico completo em apenas 8 minutos com coleta de ponta de dedo.

HIV
Outra infecção que merece atenção por conta da queda do uso de preservativos por parte dos jovens é o HIV. A detecção precoce da infecção por HIV é fundamental para ajudar a minimizar novas transmissões da doença. As rotas principais de infecção são sexo não seguro, compartilhamento de agulhas contaminadas, e de mãe infectada para o filho. O teste Point of Care permite descobrir se um indivíduo é soropositivo em 15 minutos.

Sífilis
A sífilis é causada pela bactéria Treponema pallidum e normalmente é transmitida pelo contato sexual. Também pode ser transmitida de mãe para filho (sífilis congênita). É curável; entretanto, se não for tratada pode levar a danos cardíacos e neurológicos irreversíveis. Atualmente, por conta da queda do uso da camisinha entre jovens, voltou a estar no foco das ações de prevenção de ISTs. Com o Point of Care, essa informação pode ser acessada em 15 minutos sem a necessidade de uma estrutura laboratorial.
 



Alere




Nenhum comentário:

Postar um comentário