Pesquisar este blog

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Combate à obesidade vai além das dietas restritivas




 




 Banco de imagens
Obesidade é epidemia mundial

Especialistas mostram que fatores educacionais e disciplinares são essenciais uma reeducação alimentar eficaz

O número de obesos no mundo dobrou entre os anos de 1980 e 2015, de acordo com estudo recente publicado pela revista norte americana The New England Journal Of Medicine. A ampla análise considera ainda o forte aumento de doenças vinculadas ao sobrepeso, tais como câncer, diabetes e hipertensão.
Como aponta a pesquisa, no ano de 2015, cerca de 107,7 milhões de crianças e 603,7 milhões de adultos sofriam de obesidade em todo mundo. Apesar da incidência da obesidade nas crianças ser menor do que nos adultos, o aumento foi mais rápido neste período de 35 anos, como apresentaram os autores do estudo durante uma conferência realizada em Estocolmo.
No ano passado, a Organização das Nações Unidas (ONU) proclamou a Década de Ação sobre Nutrição e o Brasil foi o primeiro país a se comprometer com o combate a obesidade.



Educação no comportamento alimentar

O rápido avanço do sobrepeso está diretamente vinculado aos maus hábitos alimentares. O consumo excessivo de alimentos industrializados ricos em sódio, conservantes e calóricos, são grandes responsáveis pelo desenvolvimento de doenças ocasionadas pelo sobrepeso.
O bom comportamento alimentar vai além dos grupos de alimentos a serem evitados ou adicionados à dieta, como afirma a nutróloga Dra. Nádia Haubert, da Aliança Instituto de Oncologia. "É preciso abordar a comida de forma consciente e intuitiva, educar a população a comer comida in natura desde a infância", explica.
A obesidade infantil pode ser desencadeada por diversos fatores, inclusive o comportamento alimentar que a criança é submetida ou tem contato diariamente. "Hoje já temos estudos que conseguem mostrar os impactos das refeições que não são realizadas em família, principalmente em crianças, e boa parte disso resulta em obesidade infantil", esclarece.
A médica observa ainda que mais impactante do que os números revelados neste estudo é constatar que em 35 anos foram desenvolvidas dezenas de dietas, remédios sintéticos para emagrecimento que só geraram resultados temporários.

Foco e disciplina
Existe um "casamento" perfeito para o início de uma vida saudável: aliar a alimentação equilibrada à prática regular de exercícios físicos. O preparador físico Talles Sucesso alerta para os perigos do sedentarismo. "A falta de uma rotina de exercícios pode resultar em diversas doenças que diminuem a expectativa de vida, como: hipertensão, problemas articulares, diabetes e doenças cardiovasculares", adverte.
A prática regular de atividades proporciona melhorias de saúde e diminui abruptamente o aumento da obesidade, "os exercícios indicados para esse caso é o treinamento resistido como a musculação e treinamento intervalado, com atividades de corrida, bike, corda, escada, remo; mas com intensidade baixa para que haja a adaptação adequada", afirma Talles.
Vale ressaltar a importância do planejamento adequado desenvolvido por um profissional de educação física. A rotina deve ser iniciada de maneira gradativa, para que o exercício físico passe a integrar o cotidiano espontaneamente.
"Em caso de obesidade, assim como os adultos as crianças também devem ser treinadas, mas com as adaptações de intensidade e ludicidade para que se mantenham motivadas à dar continuidade ao planejamento de exercício. O grande segredo é dar continuidade", esclarece o personal quando o assunto é obesidade infantil e atividade física.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados