Pesquisar este blog

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Metade do mundo será míope em 2050



A miopia é uma causa comum de perda de visão. A miopia não corrigida é a principal causa de distúrbios visuais globalmente. Estudos individuais mostram variações na prevalência de miopia e de alta miopia entre regiões e grupos étnicos



Metade da população mundial (cerca de 5 bilhões de pessoas) será míope, em 2050, com até um quinto deles (1 bilhão) com um risco significativamente alto de cegueira se as tendências atuais continuarem, informa um estudo publicado no revista Ophthalmology.

O número de perdas de visão por miopia elevada aumentará sete vezes, entre 2.000 e 2.050. A miopia se tornará uma das principais causas de cegueira permanente em todo o mundo.

O rápido aumento da prevalência da miopia globalmente é atribuído a “fatores ambientais, principalmente mudanças de estilo de vida resultantes de uma combinação de diminuição do tempo ao ar livre e aumento das atividades próximas do trabalho, entre outros fatores”, afirmam os autores.

“Os achados apontam para um grande problema de saúde pública, com os autores sugerindo que o planejamento de serviços abrangentes de atenção ocular será necessário para gerenciar o rápido aumento de míopes elevados (um aumento de cinco vezes em relação a 2000), juntamente com o desenvolvimento de tratamentos para controlar a progressão da miopia e evitar que as pessoas se tornem altamente míopes”, afirma o oftalmologista Virgílio Centurion, diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.
“Também precisamos garantir que as crianças façam um exame oftalmológico regular, de preferência a cada ano, para que estratégias preventivas possam ser empregadas se elas estiverem em risco. Essas estratégias podem incluir o aumento do tempo ao ar livre e a redução do tempo gasto em atividades próximas, incluindo dispositivos eletrônicos que exigem foco constante de perto”, diz a oftalmologista Meibal Junqueira, que também integra o corpo clínico do IMO.
“Além da prevenção da miopia, é importante que a população saiba que existem diversas opções terapêuticas, tais como lentes de óculos especialmente concebidas para tratar a miopia, lentes de contato ou intervenções com drogas, mas o aumento do investimento em pesquisas é necessário para melhorar a eficácia e o acesso a tais intervenções”, defende Meibal Junqueira.






IMO, Instituto de Moléstias Oculares.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados