Pesquisar este blog

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Fique atento! As dietas da moda podem levar a sérios problemas de saúde



Confira os principais perigos de alguns cardápios restritivos


As dietas da moda que alardeiam resultados milagrosos a partir da redução radical de algum ingrediente podem levar a graves problemas de saúde. O alerta é de Vanderli Marchiori, consultora em nutrição da Associação Brasileira da Indústria do Trigo (ABITRIGO). De acordo com a especialista, apenas portadores de doenças específicas ou intolerâncias comprovadas a determinados ingredientes devem seguir uma alimentação mais restritiva. As demais devem optar por uma alimentação composta por todos os grupos alimentares (proteína, carboidrato e gordura), mas em porções adequadas às suas necessidades, ou seja, equilibrada.

De acordo com Vanderli, a maioria das pessoas não consegue seguir um cardápio muito restritivo por períodos longos e quando desistem dessas dietas tendem a comer mais do que antes e voltam a engordar. “Não existem milagres. É preciso pensar no longo prazo. O que dá resultado é a reeducação alimentar aliada à prática de atividades físicas”, diz. 

Confira os principais perigos das dietas da moda:


Gluten-free – defende a restrição radical dos alimentos que contêm glúten (caso dos derivados de trigo, cevada e centeio).

Este padrão alimentar só é recomendado como tratamento para a doença celíaca (CD), alergia ou intolerância ao trigo (WA). 

Riscos: ao excluir o glúten da dieta, normalmente há uma substituição dos grãos/cereais integrais por polvilho ou farinhas de tapioca e de arroz, aumentando a quantidade de carboidratos de alto índice glicêmico (elevação rápida do açúcar no sangue) e pobres em fibras, fato que propicia maior risco de desenvolvimento de câncer, diabetes e doença cardiovascular.


Dieta do dr. Atkins (dieta das proteínas) – propõe redução radical do consumo de carboidratos (massas, pães, doces, açúcares); libera o consumo de carnes (principalmente vermelha), ovos, maionese, manteiga, gorduras em geral.

Riscos: o consumo elevado de gorduras saturadas pode aumentar o colesterol e elevar as chances de desenvolver doenças coronarianas. A restrição ao carboidrato também pode levar a sintomas como fraqueza, cansaço, dores de cabeça e mau hálito.


Dieta de South Beach – é uma variação mais amena da dieta do Dr. Atkins. Estimula o consumo de gorduras monoinsaturadas (ex: azeite de oliva, amendoim, nozes); permite carnes, queijos, frango sem pele e bacon com moderação; a partir da terceira semana, introduz frutas, leite desnatado e carboidratos integrais.

Riscos: apesar de estimular o consumo de alimentos protéicos saudáveis, é muito restritiva em carboidratos, que pode ocasionar os sintomas relacionados anteriormente. 


Dieta do Tipo Sanguíneo – criada pelo médico americano Peter D’Adamo, defende que cada tipo sanguíneo tem um único antígeno que reage de forma negativa a certos alimentos e a partir disso define uma lista detalhada do que consumir ou evitar de acordo com o tipo sanguíneo.

Riscos: pode provocar desequilíbrio nutricional podendo acarretar em sobrecarga renal, aumento do risco de doenças cardiovasculares entre outras. Alguns grupos são mais prejudicados que outros. Os portadores do tipo O, por exemplo, não devem consumir frutas ou laticínios, enquanto os do tipo A devem manter distância de proteína animal.


Sugar Busters – considera o açúcar como tóxico ao organismo por liberar insulina e provocar gordura corporal. Restringe alimentos como: batatas, arroz branco, milho, pão branco, cenoura, beterraba, mel, entre outros.

Riscos: dietas hiperproteicas seguidas por longo período podem causar prejuízos renais e hepáticos, doenças coronarianas e câncer.

Restringir carboidratos, gorduras ou qualquer outro tipo de nutriente não fará você perder peso de maneira saudável e duradoura.








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados